Deputado Daniel Zen, do PT – Foto: Divulgação

O líder do governo na Aleac, deputado Daniel Zen, do PT, fez na manhã desta terça-feira (27) um discurso em defesa da prefeita Fernanda Hassem (PT) e levantou suspeitas sobre a atuação do promotor de Justiça que apresentou as ações civis públicas contra a gestora municipal e três dos seus assessores de primeiro escalão que foram acusados de acumular cargos de forma ilegal.

“A gente respeita a acredita no trabalho do MP, mas me causa muita estranheza quando eu li o teor da ACP. Em outros municípios há ações que não estão sendo objeto da força do MP. O MP acusa a prefeita de nomear três pessoas que são servidores efetivos do quadro do Estado”, diz o petista, ao destacar que investigou a situação e não constatou nenhuma irregularidade.

Para Daniel Zen, o promotor de Justiça do município de Brasileia estaria agindo seguindo “o mesmo modos operandi que temos visto na Lava Jato. “Fazem o estardalhaço primeiro, depois é que a pessoa vai se defender. Está na hora de isso se acabar. Não podemos permitir que uma intuição seja uma destruidora de biografias, que promove o julgamento através dos veículos de imprensa”.

Sede do MP em Brasiléia – Foto: Divulgação

O petista sugere que a atuação do promotor de Justiça passe por uma correição dentro do Ministério Público. “Vamos esperar que o poder judiciário defina as coisas. Agora, você ir para os meios de imprensa e fazer todo esse achincalhe é uma inversão dos devidos processos legais. Isso cabe uma atuação correcional. Nãos se pode admitir que homens da lei ajam ao arrepio da lei”, diz Daniel Zen.

Para o petista, não se pode admitir que pessoas ligadas as instituições descumpram a lei “sob a pretensa justifica de que estão agindo pelo interesse do povo. As instituições trabalham com espetáculo midiático, ferindo os direitos e garantias do cidadão”, disse Daniel Zen, ao fazer a defesa da companheira de partido e colocar sob suspeita a atuação de um promotor de Justiça.

Comentários