Conecte-se conosco

Geral

Deixando a vida pública: Delegada do Estado do Acre se prepara para deixar a vida pública após mais de 19 anos na Polícia Civil

Publicado

em

 

Ascom/Polícia Civil do Acre

Os anos chegam, o tempo passa, a idade avança e ficam as experiências, a bravura e a sensibilidade de uma mulher que dedicou 19 anos de sua vida à Polícia Civil do Estado do Acre.

Delegada de carreira, a acreana de nascença Maria Lúcia Barbosa Jacoud, 60 anos, ingressou na vida pública na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER/ACRE no ano de 1988 exercendo a função de extencionista.

Na busca pelo conhecimento cientifico, a acreana Lucia Jacoud prestou vestibular e ingressou na Universidade Federal do Acre no ano de 1989 vindo a se formar no Curso de Nível Superior de Direito no ano de 1994.

Desde então, passou a atuar na mesma EMATER exercendo a função de advogada da empresa até o ano de 2003 quando ingressou nos quadros da instituição Policia Civil por meio de concurso público.

Ávida por exercer uma de suas maiores habilidades, a pacificação, desde então já tomou frente à Base do Projeto Polícia da Família.

Conhecida como pacificadora, Lúcia Jacoud iniciou na Polícia Civil em 2003 e permaneceu à frente do Projeto Policia da Família até dezembro 2008 quando a servidora foi designada a exercer suas funções de delegada na Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM).

Sempre compromissada com seu trabalho e dedicada as suas funções embasada nos pilares da irmandade, igualdade e fraternidade, Lúcia não mediu esforços para que a instituição tivesse um olhar voltado para a valorização do servidor e consequentemente a oferta na prestação de um serviço de qualidade.

No ano de 2010 o processo de distribuição harmônica de delegados levou a delegada a assumir a coordenação da 5ª Regional de Policia Civil, permanecendo à frente da regional até o ano de 2015, quando foi convidada a fazer parte do processo de implantação do Projeto Pacificar, hoje Núcleo de Segurança Comunitária e Pacificação Social – Pacificar, permanecendo até o ano de 2018 quando foi cedida para a Secretaria de Segurança Pública (SESP).

Em 2019, já aposentada da função de delegada, a profissional volta para a Polícia Civil por meio de Cargo Em Comissão (CEC) onde continuou a desenvolver seu trabalho a frente do Núcleo de Segurança Comunitária e Pacificação Social – Pacificar e Núcleo de Qualidade de Vida (NQV) onde deixa um legado a ser seguido por aqueles que comungam com o pensamento voltado para a pacificação social.

A profissional sempre foi exemplo de compromisso com o trabalho chegando cedo, sabendo que, por trás dos inquéritos, havia famílias inteiras, vítimas de violência e criminalidade, à espera de respostas.

Na luta intensa contra a impunidade, aprendeu a tratar todos de forma respeitosa e igualitária.

Diante de todo esse histórico profissional invejável, a Policia Civil do Estado do Acre agradece por todo trabalho e dedicação desta profissional que trabalhou na defesa dos interesses da população e, sobretudo na busca por uma cultura de paz.

 

Comentários

Geral

Mais dois procuradores do Estado são nomeados pelo governo

Publicado

em

Dois candidatos convocados para assumir o cargo de Procurador do Estado não entregaram a documentação no prazo exigido pelo edital e por isso, o governador Gladson Cameli tornou sem efeito no Diário Oficial desta terça-feira, 17, os decretos de Mayara Rayanne Oliveira de Almeida e Gabriela dos Santos Barros que a nomeavam para o cargo.

Para o lugar das duas, o governo convocou para tomar posse como Procurador do Estado João Paulo Carneiro de Oliveira e Felipe de Lima Neves.

Os dois nomeados terão que apresentar a documentação exigida pelo edital para que sejam efetivados no cargo e passem a ingressar o Quadro de Carreira da Procuradoria-Geral do Estado – PGE.

Comentários

Continue lendo

Geral

Desembargadora Eva Evangelista recebe presidente da OAB/AC, em exercício

Publicado

em

Coordenadora estadual das Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Familiar recebeu proposta de minuta para intimação de medidas protetivas de acusado por violência doméstica via telefone e aplicativo de mensagens WhatsApp pelo oficial de Justiça.

A coordenadora estadual das Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Acre (Comsiv-TJAC), desembargadora Eva Evangelista, recebeu em seu gabinete nesta segunda-feira, 16, a presidente, em exercício, da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre, Socorro Rodrigues.

Estiveram presentes ainda a presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM/AC), Giovana Castelo Branco, a representante da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica, Isnailda Gondim, e a secretária de Programas Sociais do TJAC, Regiane Verçosa, houve alinhamento de propostas e iniciativas que podem ser desenvolvidas de forma conjunta.

No encontro, a presidente da OAB, em exercício, entregou à desembargadora proposta de minuta para intimação de medidas protetivas de acusado por violência doméstica via telefone e aplicativo de mensagens WhatsApp pelo oficial de Justiça. Na pauta também foi abordado casos de feminicídio no Acre, a articulação para o fortalecimento da rede e atividades em conjunto que serão desenvolvidas nos próximos dias.

A desembargadora Eva Evangelista agradeceu a visita e disse ter orgulho da Rede de Proteção à Violência Doméstica que vem sendo atuante em todo o Estado. Ela destacou ainda que a equipe da Comsiv-TJAC tem agenda no Alto Acre esta semana para apresentação de proposta de Projeto de Lei para municipalização de Grupos Reflexivos, em prol de combate à violência contra à mulher e fortalecimento da rede no interior do Acre.

“Iniciativas dessa natureza buscam atuar diretamente no combate a crimes contra às mulheres, reduzindo os índices de reincidência ou reentrada – quando a pessoa volta ao sistema de Justiça por cometer uma nova medida, independente do trânsito em julgado da condenação anterior. A proposta é sensibilizar os atores de violência doméstica sobre sua postura, para ele não voltar a repetir seus atos, mesmo em outro relacionamento”, disse.

A presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Giovana Castelo Branco, ressaltou que pedirá ao Governo do Estado um plano emergencial de enfrentamento à violência doméstica e a representante da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica, Isnailda Gondim, convidou a desembargadora para o início do curso de capacitação para mulheres privadas de liberdade.

Comentários

Continue lendo

Geral

Aluna de escola cívico militar de Cruzeiro do Sul está entre os vencedores do concurso Jovem Senador

Publicado

em

A comunidade da Escola Cívico Militar Madre Adelgundes Becker, localizada em Cruzeiro do Sul, está em festa. A aluna do 2º Ano do Ensino Médio da unidade, Ana Beatriz Amorim, de 16 anos, é a mais nova Jovem Senadora da República e vai representar o Acre em Brasília na edição de 2022 do Programa Jovem Senador.

Um projeto do Senado Federal que, anualmente, leva estudantes do Ensino Médio, um de cada unidade da Federação, a uma experiência sobre o processo legislativo. Em Brasília, eles participam da Semana de Vivência Legislativa e, além de aprenderem sobre esse processo, têm a oportunidade de fazer propostas que mais tarde poderão ser transformadas em projetos de lei.

Ana Beatriz Amorim representará o Acre no Jovem Senador 2022. Foto: Jully Joyce Specht

Para compor o grupo que vivenciará esta experiência, os alunos tiveram que participar de um concurso de redação. O tema deste ano foi o bicentenário – 200 anos de Independência: lições da história para a construção do amanhã.

Ana Beatriz conta que quando a escola começou a incentivar os estudantes a participar do concurso, ela não se sentia confiante, mas se empenhou na produção do texto. “Foi uma surpresa enorme. Toda a família ficou muito feliz. Depois que me acalmei percebi a responsabilidade, pois vou representar meu estado”.

Ana Beatriz e equipe da Escola Cívico Militar Madre Adelgundes Becker.Foto: Jully Joyce Specht

A viagem ocorrerá no período de 27 de junho a 1 de julho e inclui passagem aérea, hospedagem, alimentação e locomoção tanto para a estudante quanto para o professora orientadora que a acompanha. Além disso, elas serão premiadas com um notebook, cada uma.

Durante quatro dias, Ana Beatriz e os demais jovens senadores terão um trabalho que simula a atuação dos senadores da República, com direito a posse e eleição da Mesa (presidente, vice e secretários), aprovação dos projetos e publicação no Diário do Senado Federal. As sugestões acatadas são encaminhadas à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa da Casa.

Para a gestora da Madre Adelgundes, Rosa Lebre, ter Ana como representante do Acre é uma felicidade para toda a comunidade escolar. “A conquista só aumenta nossa responsabilidade de cada vez fazer mais e melhor para nossos alunos”, afirma.

Enquanto a viagem não chega, a jovem senadora do Acre segue se dedicando aos estudos e ao sonho de cursar uma faculdade: “Continuarei com o mesmo empenho para alcançar meus objetivos. Passar no Enem na área de saúde é um deles”.

Comentários

Continue lendo

Em alta