“Demissão em massa de servidores pode gerar caos em todas as áreas da saúde no Acre”, diz presidente do Sintesac

Sintesac iria se reunir com o MPAC na tarde desta terça (31) para tentar uma forma de minimizar os efeitos das demissões dos 386 servidores da saúde e, depois, com o governador

RÉGIS PAIVA

A notícia de que o Estado está em via de demitir 386 servidores da Secretaria de Saúde (Sesacre) pegou a todos os servidores da saúde de surpresa e apavorou a muitos trabalhadores do setor. Por conta disso, a presidência do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) esteve nesta manhã em reunião com o secretário de saúde para se inteirar dos fatos e buscar uma saída negociada.

Segundo o presidente do Sintesac, Adailton Cruz, apesar do documento do Ministério Público do Estado (MPAC) prever um prazo de 45 dias para cumprir a recomendação, o secretário de Saúde quer cumprir a decisão imediatamente e demitir os 386 servidores em cinco dias.

Para evitar o que poderia implicar em uma situação de caos no atendimento da população e também para as famílias dos servidores cujos nomes estão na lista, Adailton pretende se reunir com o representante do MPAC na tarde dessa terça-feira, às 15h00. O sindicato pretende negociar um prazo para a efetivação das demissões, de forma a permitir aos afetados ajustarem as vidas.

Servidores foram à Sesacre para tratar do assunto /Foto: ContilNet

“Além disso, por serem servidores com atuação em todas as áreas da saúde, isso pode provocar um caos no atendimento ao público, razão pela qual a questão precisa ser analisada antes de se tomar uma medida tão radical”.

Segundo informações, os servidores afetados foram contratados por meio de contratos provisórios, os quais vinham sendo renovados ao longo dos anos de forma irregular por parte da Sesacre, tendo o MPAC apenas pedido o cumprimento da lei.

Comentários