“Agora querem colocar o rombo no setor elétrico para o consumidor pagar”, disse Rocha

Deputado da FPA votam a favor da PEC 688
Deputado da FPA votam a favor da PEC 688

Na sessão de terça-feira (10) na Câmara dos Deputados, a Medida Provisória (MP) 688/2015 que transfere o risco hidrológico na geração hidrelétrica de energia foi aprovada. Os setores da oposição afirmam que a medida vai elevar o valor da energia elétrica novamente no país. A MP é considerada de fundamental importância na continuidade dos planos de negócios das usinas hidrelétricas.

Na avaliação do governo federal, a proposta é essencial para o sucesso do leilão de 29 hidrelétricas antigas, que foi adiado de 6 de novembro para 25 de novembro, em razão do atraso na votação da MP.

A aprovação da MP, de acordo com o governo federal, vai arrecadar R$ 17 bilhões. A MP ainda transfere para o consumidor o chamado risco hídrico, ou seja, se faltar chuva o consumidor pagará mais caro pela energia.

Deputado Rocha (PSDB)
Deputado Rocha (PSDB)

O deputado federal Major Rocha (PSDB), que votou contra a MP, postou em sua página nas redes sociais que é para a população lembrar dos parlamentares que votaram a favor da medida toda vez que forem pagar suas contas de energia elétrica.

Os parlamentares acreanos que votaram favorável à MP foram os deputados federais Léo Brito (PT), Sibá Machado (PT), Angelim (PT) e César Messias (PSB).

“Depois da presidente Dilma Rousseff mentir na campanha, dizendo que não iria haver reajuste de energia,  acabou reajustando em 80%. Agora querem colocar o rombo no setor elétrico para o consumidor pagar”, disse Rocha, que denunciou os colegas de parlamento que votaram pela aprovação da MP.

Assim, como Rocha, Flaviano Melo (PMDB) e Alan Rick  (PRB) votaram contra a MP. A deputada Jessica Sales (PMDB) não votou a matéria, que foi aprovada por 257 votos a 173. Ainda teve cinco abstenções. Na próxima sessão, serão votados os destaques da matéria.

Comentários