João Renato Jácome

Pela quinta vez consecutiva, servidores da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Acre (Emater) reclamam atrasos nos salários referentes ao mês de dezembro e décimo terceiro. São pelo menos 100 trabalhadores que estão, desde o mês passado, na promessa de receber os recursos a que tem direito. Todos são provisórios e trabalham na área rural, junto aos projetos de assentamentos do governo do Acre.

“A gente até chega a reclamar, mas nem adianta. Como somos provisórios, temos até medo de falar alguma coisa. Se a gente pedir informação, já pode ser um motivo para ficarmos sujos. Eles dizem que não entrou o dinheiro na conta, e assim a gente fica esperando. Já são dois meses, e não sabemos se vamos aguentar mais um. Isso é muito triste. Cadê as promessas de que salários do governo não atrasariam?”, questiona uma servidora da empresa pública.

Ainda em dezembro, o diretor-presidente da entidade, Idezio Frank, confirmou os atrasos salariais, mas garantiu que seriam todos pagos ainda naquela semana em que ocorreu a entrevista. Nada feito. Os trabalhadores continuam aguardando os pagamentos que, segundo o gestor, dependem de repasses realizados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Acre.

“Essa questão do pagamento dos servidores do quadro temporário da Emater nós dependemos dos recursos vindo de Brasília para o Incra. Essa folha de pagamento é bancada com esses recursos. Não é recurso do Estado do Acre”, justificou ao portal, no dia 03 de dezembro, há quase dois meses, e, até esta quarta-feira, 20 de janeiro, nenhuma pagamento foi realizado.

Agora, a Empresa de Assistência afirma, novamente, que o convenio foi repassado, mas que ainda não foram feitos os pagamentos por conta do sistema específico para isso, que ainda não está liberado pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Isso, esclarece o órgão, é praxe anualmente e ocorre por conta do fechamento de orçamento. Contudo, caso a Sefaz autorize ainda hoje o pagamento, todos serão feitos normalmente.

“Foi liberado ontem, para a conta da Emater, tanto o de dezembro, quanto o décimo terceiro. Como todos os anos, a gente fecha o sistema de pagamentos, mas agora, ela será aberto. Estamos só aguardando autorização da Fazenda, depois, já mandamos o empenho para o banco e todo mundo deve receber. Esse atraso não ocorreu apenas com agente. Isso é recurso do Incra”, esclarece Ronaldo de Queiroz, gestor de chamamentos da Emater, que está gerindo a empresa pública.

Comentários