Conecte-se conosco

Geral

Difusora Acreana completa 77 anos de fundação e vive desafio por modernização na era digital

No dia 7 de agosto de 1944 aconteceu a primeira transmissão em caráter experimental. Já as instalações atuais, na rua Benjamin Constant, centro de Rio Branco, foram inauguradas no dia 1  de maio, em 1949

Publicado

em

No dia 25 de agosto de 1944 o então governador Silvestre Coelho proferia um discurso inaugural nas ondas da Rádio Difusora Acreana. Era o lançamento das Voz das Selvas no meio da floresta amazônica em uma Rio Branco, à época, ainda pacata e de poucos habitantes

A “emissora do povo” que posteriormente, após sua inauguração, fora apelida por Índio do Brasil de “A Voz das Selvas, teve seu primeiro estúdio instalado no antigo Instituto Getúlio Vargas.

No dia 7 de agosto de 1944 aconteceu a primeira transmissão em caráter experimental. Já as instalações atuais, na rua Benjamin Constant, centro de Rio Branco, foram inauguradas no dia 1  de maio, em 1949.

Pela Rádio Difusora passaram nomes conhecidos da comunicação acreana, como: Estevão Bimbi, J. Conde, Mota de Oliveira, Delmiro Xavier, Jorge Cardoso, Luiz Carlos (Piriquitão), Compadre Lico e Campos Pereira (esses já falecidos). Outros que até hoje estão em atividade ainda fazem parte dos quadros da emissora: Nilda Dantas e Zezinho Melo, estão entre os mais antigos da rádio.

Festa de aniversário e desafios

Em meio aos desafios da comunicação na era digital, a Rádio Difusora luta para manter seu legado e ao mesmo tempo viver o presente, o momento em que tudo converge para o mundo virtual.

A emissora tem suas páginas nas redes sociais, pode ser ouvida via smartphone, porém a ideia é além da elementar conexão na web por meio de canais de interatividade.

O diretor da rádio, jornalista Raimundo Fernandes, também radialista que tem história na emissora, diz que são muitos os desafios, todavia diz que muitas foram as conquistas nos últimos anos.

Fernandes rememora ainda que a RDA sempre foi uma escola de grandes comunicadores e jornalistas no Acre.

“A Rádio Difusora Acreana é uma escola. 80% das pessoas que trabalham ou trabalharam nas redações do Acre passaram pela Rádio Difusora. Temos muitos desafios. Temos os planos de carreira dos servidores, que o governo está cuidando, temos também o projeto de migrar do AM para o FM, enfim, e também transmitir o Gente Debate, que é o carro chefe do nosso jornalismo, a partir dos municípios.”

Neste ano, por causa da pandemia de covid-19, a programação de aniversário da Rádio Difusora foi reduzida.

Nesta sexta-feira (27), na frente do prédio da emissora, sob a tradicional mangueira, a direção da rádio promove um dia todo de evento com cunho cultural com direito a bolo de aniversário e a presença do governador do Acre, Gladson Cameli.

A primeira transmissão da “Voz das Selvas” aconteceu no dia 7 de agosto de 1944, no antigo Instituto Getúlio Vargas, que foi a sua primeira sede. Apenas em 1º de maio de 1945 que ela passou a funcionar no prédio em que está até hoje.

Considerada como patrimônio histórico e cultural do Acre, produziu nomes como Estevão Bimbi, Campos Pereira, Jota Valentim, Jota Conde, Cícero Moreira, Jorge Cardoso, Nivaldo Paiva, Coronel Chicão e Washington Aquino, entre tantos outros que marcaram época nos microfones da emissora.

Alguns nomes de peso na história da Rádio Difusora Acreana ainda estão na ativa, como é o caso de Zezinho Melo, na emissora desde o início dos anos 1960, e Nilda Dantas, desde o começo da década de 1970. Eles são dois nomes de peso da “Voz das Selvas” comandando os programas Tarde de Emoções e Espaço do Povo, respectivamente.

Comentários

Geral

Acreano que aderir ao “não perturbe” não será mais incomodado com telemarketing

Publicado

em

 

Sabe aquela ligação logo cedo no final de semana oferecendo aquele produto ou serviço que você não pediu e não tem o mínimo interesse? Pois essa chateação vai acabar.  Foi publicada na edição desta quarta-feira, 8, com a sanção da lei de autoria do deputado estadual Roberto Duarte (MDB) que cria no Acre o cadastro “não perturbe”.

O serviço consiste na obrigatoriedade das empresas de telemarketing ou estabelecimentos que se utilizem deste serviço a não efetuarem ligações telefônicas não autorizadas aos consumidores ou usuários nele inscritos, a fim de bloquear ligações telefônicas de propaganda não desejadas.

A partir da adesão do consumidor final à lista “não perturbe”, terá a empresa de telemarketing ou estabelecimentos que deste serviço se utilizem, o prazo de trinta dias corridos para cessar definitivamente, toda e qualquer ligação com finalidade de publicidade ao usuário que não autorizar ou desejar.

Incluem-se nas disposições desta lei, usuários de:

I – telefones na modalidade fixo;

II – telefones na modalidade móvel;

III – aplicativos de telefonia utilizados em telefones smartphone.

O consumidor final ou usuário que desejar voltar a receber os serviços de marketing via telefone, poderá, a qualquer momento, solicitar a sua exclusão do cadastro “não perturbe”.

É obrigatória a disponibilização, no momento da ligação ou via SMS, de número de protocolo referente à solicitação de adesão ao cadastro “não perturbe” ou exclusão deste, ao usuário.

O disposto na presente lei não se aplica às empresas sem fins lucrativos ou filantrópicas que se utilizem de empresas ou serviços de telemarketing para angariar recursos inerentes ao seu funcionamento.

O não cumprimento do disposto nesta lei sujeitará a empresa infratora ao pagamento de multa correspondente a um salário mínimo vigente, por dia de descumprimento, direcionada ao Fundo Estadual de Defesa do Consumidor – FEDC. Em caso de reincidência, a multa diária será aplicada em dobro.

As empresas concessionárias têm um prazo de 90 dias para se adequarem à nova lei.

Comentários

Continue lendo

Geral

Vanda Milani é coautora do  projeto de lei 3418/21 para inserção de psicólogos e assistentes sociais na regulamentação do Fundeb

Publicado

em

A deputada Vanda Milani (Solidariedade)assinou como coautora da emenda de plenário do projeto de lei 3418/21 para inserir também expressamente no texto de regulamentação do Fundeb os profissionais de psicologia e do serviço social como profissionais da educação básica. O ato de assinatura ocorreu nesta terça-feira, (7), no gabinete da deputada em Brasília com a presença do presidente do Conselho Regional de Psicologia do Acre, André Torres, e da vice-presidente do Conselho Regional de Serviço Social do Acre, Vanda Matos.

Atualmente, o Acre conta com mais de 4 mil psicólogos e cerca de 2 mil assistentes sociais. Em todo o Brasil, são mais de 600 mil profissionais atuando nestes 2 ramos. “É uma honra muito grande assinar como coautora deste projeto que fixa os psicólogos e assistentes sociais nos 70% de custeio do Fundeb”, disse a deputada. André Torres lembrou que a própria Lei de Diretrizes e Bases (LDO) garante que psicólogos e assistentes sociais são áreas afins e podem ser custeados pelo Fundeb. “A deputada Vanda Milani não somente deu apoio a nossa causa , mas também assinou como coautora do projeto que preza pela contratação de psicólogos e assistentes sociais na rede  de ensino básico, o que demonstra a responsabilidade que a deputada tem não apenas com os profissionais da Psicologia e Assistência Social  mas também  com as famílias destas categorias  porque esta lei vai vigorar em todo o Brasil ”, enfatizou André Torres.

Apoio reafirmado

De acordo com a deputada, é um contrassenso não reconhecer como profissionais da Educação psicólogos e assistentes sociais das escolas e colégios. “Afinal, eles são profissionais da Educação que servem como os demais, como os próprios professores. São áreas afins”. A parlamentar lembrou que já na época da discussão da matéria se colocou a favor dos psicólogos e assistentes sociais, mas foi voto vencido.

“Então, por isto agora eu- com muita honra de subscrever como coautora do projeto e digo aos profissionais da assistência social e psicologia : contem com o apoio desta deputada porque também já fui professora , sei do trabalho que consiste em educar nossas crianças e são estes profissionais que estão no dia a dia ajudando os diretores e pais de família a fazer dos seus filhos os homens do amanhã ”. Por fim, a deputada enviou um recado a todos os psicólogos e assistentes sociais: “Contem não só com meu voto em plenário. Vou também fazer campanha com os colegas para que a gente possa aprovar esta matéria”.

 

 

Comentários

Continue lendo

Geral

BC: saques em poupança superam depósitos em R$ 12,37 bilhões

Publicado

em

Economia, Moeda Real,Dinheiro, Calculadora

Em novembro de 2020, houve mais depósitos do que saques

As retiradas da caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 12,377 bilhões, em novembro, informou hoje (6) o Banco Central (BC). Essa foi a maior retirada líquida para o mês, na série histórica iniciada em 1995.

No mês passado, os depósitos chegaram a R$ 281,713 bilhões e os saques a R$ 294,09 bilhões. Em novembro de 2020, houve mais depósitos do que saques, com saldo positivo de R$ 1,479 bilhão.

De janeiro a novembro, foi registada retirada líquida de R$ 43,157 bilhões. Em 2020, a poupança captou R$ 166,31 bilhões em recursos, o maior valor anual da série histórica, por influência dos depósitos do auxílio emergencial e o aumento do interesse pelo investimento, em meio à crise gerada pela pandemia de covid-19.

Rendimentos

Em novembro, o investimento rendeu 0,44% em novembro, segundo o BC. O rendimento ficou abaixo da prévia da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que chegou a 1,17%, no mês passado.

De acordo com a legislação atual, a remuneração dos depósitos de poupança é composta pela Taxa Referencial, que está em zero, mais 70% da taxa básica de juros, a Selic, mensalizada. Essa regra vale enquanto a taxa Selic for igual ou inferior a 8,5%. Atualmente, a taxa está em 7,75% ao ano.

Com a Selic acima de 8,5% ao ano, a poupança rende a TR mais 0,5% ao mês. De acordo com a expectativa do mercado financeiro, a Selic deve subir para 9,25% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, responsável por definir a taxa, nesta semana.

Edição: Maria Claudia

Comentários

Continue lendo

Em alta