A presidente e o governador Tião Viana receberam os prefeitos das cidades mais atingidas pelas cheias dos rios acreanos (Foto: Sérgio Vale/Secom)
A presidente e o governador Tião Viana receberam os prefeitos das cidades mais atingidas pelas cheias dos rios acreanos (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Após desembarcar no Acre na tarde desta quarta-feira, 11, a presidente Dilma Rousseff foi recebida pelo governador Tião Viana e ainda no aeroporto da capital participou de uma reunião com os prefeitos das cidades mais atingidas pela cheia dos rios acreanos. A presidente ouviu com atenção uma apresentação do governador e do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, acerca dos estragos causados principalmente pela cheia do Rio Acre e prometeu uma importante atenção do governo federal na recuperação e necessidade de reconstrução das cidades.

Mas em termos de acolhimento, vocês conseguem transformar uma situação mais difícil, numa situação humana”

Dilma Rousseff


Olho com muita simpatia essa ideia de reconstrução e reestruturação das cidades atingidas”, disse a presidente. Dilma ainda fez questão de elogiar todo o trabalho desenvolvido pelo governo e prefeitura junto aos desabrigados, além de lembrar o apoio federal vindo por intermédio do Ministério da Integração Nacional e do Ministério da Previdência: “Hoje nós temos aqui em Rio Branco provavelmente a maior calamidade com o maior índice de atingimento da população. Mas em termos de acolhimento, vocês conseguem transformar uma situação mais difícil, numa situação humana”.

    Governador falou das ações de assistência que estão sendo desenvolvidas (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Governador falou das ações de assistência que estão sendo desenvolvidas (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Estiveram presentes os prefeitos de Brasileia, Everaldo Gomes; de Epitaciolândia, André Hassem; de Assis Brasil, Humberto Gonçalves; de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, de Porto Acre, Carlinhos da Saúde e o de Rio Branco, Marcus Alexandre. Só na capital a alagação afetou 53 bairros, 900 ruas, 31 mil edificações e 102 mil pessoas, obrigando o poder público a fundar 31 abrigos que receberam mais de 10 mil pessoas. Com o Rio Acre chegando à marca histórica de 18,40 metros, o prefeito decretou calamidade pública em Rio Branco. Brasileia, outra das cidades mais afetadas, teve 90% de sua área urbana coberta pelas águas.

O governador Tião Viana agradeceu a presença da presidente e toda ajuda federal que tem chegado ao Estado a partir de recursos financeiros e materiais, como os 17 mil kits humanitários encaminhados ao Estado e os R$ 37 milhões liberados pela previdência social para aposentados. “É uma honra esse momento para história do Acre, porque é um momento de solidariedade vindo da presidente Dilma. É a grande cheia histórica do estado e queremos ouvir alguma orientação, uma reflexão, sobre como podemos trabalhar isso”.

Agência de Notícias do Acre

Comentários