“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se elas aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar”

Nelson Mandela

Liberado para o debate

A equipe do hospital Albert Einstein que cuida da recuperação do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), que foi esfaqueado e passou por uma colostomia, divulgou nesta quinta-feira (18) uma nota na qual afirma que o capitão da reserva “apresenta boa evolução clínica”. Questionada sobre a liberação do paciente para ir aos debates, a assessoria de imprensa do Albert Einstein informou que esta é uma decisão de Bolsonaro.

De Coração

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) apoiou a declaração feita pelo senador eleito Cid Gomes contra o PT. Para ele, as críticas proferidas pelo político na última segunda-feira, 15, foram “verdadeiras, francas e feitas de absoluto coração”. Roberto Cláudio, que também é presidente do PDT em Fortaleza, ainda defendeu que o partido será oposição em 2019 independentemente do resultado das eleições no segundo turno, no próximo dia 28.

Jogando a toalha

A cerca de alguns dias do segundo turno das eleições, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, admitiu que o partido subestimou o poder do WhatsApp na campanha presidencial. Em conversa com a imprensa, a petista disse que o partido não se preparou para enfrentar Jair Bolsonaro (PSL) neste segmento da comunicação, no qual o adversário construiu uma relação “direta” com a população, de acordo com avaliação da senadora paranaense.

 Gleisi Hoffman, presidente nacional do PT

Transição

As centenas de exonerações publicadas no Diário Oficial do Estado,  representam na verdade, segundo reportagem veiculada  na Agência de Notícias do Acre, portal oficial do governo, “Uma das medidas necessárias à conclusão dos trabalhos administrativos da atual gestão já estão sendo adotadas, para que se inicie o processo de transição, com a preservação da continuidade dos serviços públicos essenciais”.

O Jogo virou…

Politicamente falando o PC do B do Acre sempre teve um número de parlamentares menor que o PT  no estado, mas em 2018 o jogo mudou, com o “massacre nas urnas “ do partido dos trabalhadores, o PC do B além de igualar a quantidade na (ALEAC), ainda conquistou uma vaga na Câmara Federal com Perpetua Almeida.

Certinho

De acordo com a lista divulgada pela Amac, os municípios de  Epitaciolândia, Xapuri, Assis Brasil e Brasiléia, estão todos dentro da lei de responsabilidade fiscal, respeitando o limite gastos.

Prefeitos de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT) e de Epitaciolândia, Tião Flores (PSB)

Destaque para Epitaciolândia

Dos municípios do interior, destaque para o município de Epitaciolândia que deteve o índice mais baixo, mostrando ser uma gestão, que serve de exemplo para outras, que não respeitaram a (LRF).

Ainda é cedo…

Muito se comenta nas esquinas e bastidores na fronteira, sobre o futuro da deputada Leila Galvão (PT), ainda é cedo para uma especulação Política, claro que é inegável que muitos estão arrumando as malas e fazendo mudanças…

Calma lá

O nome do Governador eleito é Gladson Cameli (PP), que assumirá o poder em 01 de Janeiro de 2019, até aqui, Gladson vem agindo com muita responsabilidade, pé no chão e, sobretudo “duro” nos discursos.

No Acre!

Acre foi o estado que mais teve um aumento da pobreza extrema entre 2014 e 2017, de 5,6%. Enquanto isso, estados do Sul e Sudeste estão entre os menos prejudicados pela crise, apesar da piora generalizada. 

Média Nacional

Na média nacional, a miséria subiu para 4,8% da população em 2017, contra 3,2% em 2014. Nestes quatro anos, ela só não aumentou em dois dos 27 estados brasileiros, Tocantins e Paraíba.

Adriano Pitoli, diretor da Tendências, aponta uma forte correlação entre a crise econômica e a evolução da pobreza. “Não surpreende que os estados que mais sofreram com a recessão foram os que tiveram maior piora na pobreza extrema”, afirma.

O comportamento do eleitor foi diferente, porém, na região Norte, onde a população do Acre viu a miséria dobrar em quatro anos. A proporção de famílias na pobreza extrema passou de 5,3% em 2014 para 10,9% no ano passado. Desta forma, o Estado, que tem metade da população na capital Rio Branco, escalou da décima para a segunda posição no ranking.

 

Comentários