A estrela que deixou de brilhar

DIMAS-COLUNANão vou ser irresponsável ao ponto de dizer que nada o Partido dos Trabalhadores fez de bom para o nosso País, mas, diante de fatos ocorridos nos últimos anos, levaram a falência o que para muitos, não se trata mais de um partido equilibrado e que representava a classe humilde da nação.

Mas, de um partido que perdeu o escopo inicial que até tinha como foco a classe operária. Isso foi mudando paulatinamente com os efeitos de reuniões e balcões de negócios em Brasilia (DF). Hoje existe pouco entendimento entre seus líderes, basta olhar a delação premiada de Delcídio Amaral que sempre foi um homem de confiança de Lula, Dilma e sobretudo, do partido (PT). Com a delação do ex-senador, a estrela que já não vinha brilhando, passou a ter mais ferrugem que brilho, e a cada dia que passa, fica nítida a deterioração, que na altura do campeonato, já não está mais no peito do povo brasileiro.

Essa história de que foram eles que rezaram a primeira missa no Brasil, já não é capaz de persuadir ninguém, em meio a tudo isso, devemos ter em um curto espaço de tempo a delação premiada de Eduardo Cunha (PMDB), o principal responsável pela saída da ex-presidente Dilma Rousseff. Até os mais otimistas dos seguidores da estrela, sabem que a delação do ex-deputado federal pode apagar de vez aquela que a cada dia deixa de brilhar.

Uma outra preocupação é as eleições municipais de 2016, alguns candidatos tentam de todas as formas desvincular a estrela de sua campanha, ainda não ví candidatos como o atual prefeito da capital Rio Branco, dizer em algum momento dizer que se orgulha da estrelinha.

Diferente do que acontecia nas eleições passadas, a estrela parece está escondida no bolso dos caciques que insistem guardar em um lugar seguro. Lula deixou de mandar para pedir aos militantes que não deixem de vestir vermelho e, que seu nome está a disposição para ser usado nas eleições municipais, algo que parece distante da intenção de alguns candidatos, afinal, no atual cenário político e crise economica, tá dificil vender mercadoria podre.


A grande imbecilidade do fanatismo é achar que a opinião do outro é sempre uma ofensa.

 

Comentários