IMG-20150907-WA0109

Por Assem Neto

O presidente da Juventura do PT, Césário Braga, que também se diz chefe de gabinete do deputado federal Léo de Brito, é acusado de ordenar um ataque aos professores, na manhã desta segunda-feira(7), durante o deslife cívico na Avenida Amadeo Barbosa. Os professores levantavam cartazes e faixas na parte reservada ao público, por trás do alambrado, protestando contra o corte de salários e as ameaças de demissão durante a greve da categoria, que durou 65 dias. Uma das faixas dizia: “Greve no governo do PT é crime”.

O material confeccionado pelo Sinteac foi tomado das mãos de uma professora, que sofreu uma luxação no punho.

Um docente foi chamado de “maconheiro” e jurado de morte. O professor Justino Queiroz, que é cargo comissionado na Secretaria de Educação, também é acusado de se dirigir a uma professora com os seguintes termos: “bate foto do meu P…”. VEJA O VÍDEO E FOTOS ABAIXO

Um grupo de 40 professores, que vestiam camisetas pretas, prestou queixa à polícia. Todo o relato está no Boletim de ocorrência, com pedido de providências contra o dirigente petista e o professor que teria cometido ato libidinoso e atentado ao pudor, além do desrespeito á professora que é casada.

Um grupo de policiais militares foi destacado para “observar” os manifestantes, mas nenhuma providência foi tomada. A governadora em exercício, Narazé Araújo, não comentou o episódio.

Cesário Braga e Justino Queiroz não foram encontrados para falar sobre a acusação.

Comentários