Conecte-se conosco

Geral

Doenças inflamatórias intestinais crescem quase 15% ao ano

Publicado

em

Alerta é da campanha Maio Roxo, da Sociedade de Coloproctologia

Detail of young woman´s stomach with hands on her hips, for pain, stomach ache, or periods pains
When: 18 Dec 2013

No dia 19 de maio, será celebrado o Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais. A Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP) alerta para o aumento da prevalência desses males no Brasil, chamando a atenção para a causa por meio da campanha Maio Roxo.

Segundo a entidade, as doenças inflamatórias intestinais atingem mais de 5 milhões de pessoas em todo o mundo e não têm cura, mas o diagnóstico precoce ajuda a estabelecer um tratamento para melhorar a qualidade de vida. No Brasil, tem sido observado aumento dos casos nos últimos anos, sendo as mais comuns a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa.

Estudo

Com base em dados do DataSUS, a SBCP analisou as taxas de incidência e prevalência das doenças inflamatórias intestinais no Brasil de 2012 a 2020. Foram analisadas informações de 212.026 pacientes de ambos os sexos, sendo 140.705 com doença de Crohn e 92.326 com retocolite ulcerativa.

Para o médico Paulo Gustavo Kotze, membro titular da SBCP e um dos autores de estudo, a incidência, ou seja, o registro de novos casos, subiu de 9,41 por 100 mil habitantes em 2012 para 9,57 por 100 mil habitantes em 2020, uma variação anual média de 0,80%. A prevalência, que é a soma dos casos, passou de 30,01 por 100 mil habitantes para 100,13 por 100 mil habitantes no mesmo período, uma variação média de 14,87% por ano.

“No Brasil, a prevalência das doenças inflamatórias intestinais chega a 100 casos para cada 100 mil habitantes no sistema público, sendo a maior concentração nas regiões Sudeste e Sul. Em alguns países desenvolvidos, a prevalência pode chegar a até 1% da população. Já a incidência média em 2020 no país foi de sete casos para retocolite ulcerativa e três para doença de Crohn para cada 100 mil habitantes”, disse Kotze.

Causas e sintomas

A SBCP alerta, também, que as doenças inflamatórias intestinais são mais frequentes em adolescentes e adultos jovens, de 15 a 40 anos, com causas relacionadas a fatores genéticos, imunológicos, ambientais, alimentares e alteração da flora intestinal. O tabagismo é um fator de risco para agravamento da doença de Crohn.

Os sintomas das duas doenças são parecidos, mas a retocolite ulcerativa acomete apenas a mucosa intestinal do reto e do cólon, conhecido como intestino grosso. Já a doença de Crohn pode atingir todo o trato digestório, da boca ao ânus, sendo mais prevalente no intestino delgado, colón e região perianal, provocando inflamações em todas as camadas intestinais.

Entre os sintomas estão diarreia crônica com sangue, muco ou pus, associada a cólicas abdominais, urgência evacuatória, falta de apetite, fadiga e emagrecimento. Em casos mais graves, o paciente pode ter anemia, febre, desnutrição e distensão abdominal. Entre 15% e 30% dos pacientes apresentam, ainda, manifestações extraintestinais como dor nas articulações, lesões de pele ou oculares.

O diagnóstico das doenças inflamatórias intestinais é feito por especialista, após análise do histórico clínico e exames laboratoriais, endoscópicos, radiológicos e biópsias. Kotze afirma que os sintomas podem ser confundidos com os de doenças mais comuns, como síndrome do intestino irritável e diarreias infecciosas, “por isso, é fundamental uma análise global do paciente”, diz ele.

Tratamento

As doenças inflamatórias intestinais não têm cura, mas o tratamento adequado permite o controle do processo inflamatório e dos sintomas, com a indução da remissão da doença por meio de anti-inflamatórios tópicos, corticoides e medicamentos injetáveis. A manutenção da condição é feita sem corticoides, podendo associar imunossupressores e biológicos. De acordo com Kotze, o diagnóstico precoce é importante para evitar complicações.

“Mesmo com adequado tratamento clínico, os desafios de melhora persistem e uma parte significativa dos pacientes ainda necessita de diversos tipos de cirurgia para o seu tratamento. A importância do diagnóstico e tratamentos precoces reside na possibilidade de se evitar complicações e consequentes cirurgias”, acrescenta.

Outro ponto importante para os pacientes é seguir uma dieta adequada. Segundo a SBCP, os bons hábitos alimentares podem prevenir o desenvolvimento da doença e manter a remissão.

A orientação deve ser feita por uma equipe multidisciplinar de médicos e nutricionistas, já que o tipo de alimento recomendado varia de acordo com a fase e gravidade da doença em cada paciente.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários

Geral

Acre tem mais um dia sem registro de casos e mortes por Covid-19 neste segunda, dia 23

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), informa que não há novos casos de infecção por coronavírus nesta segunda-feira, 23 de maio. O número de infectados é de 124.974 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 327.240 notificações de contaminação pela doença, sendo que 202.241 casos foram descartados e 25 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 122.930 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 1 seguia internada até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Nenhum óbito foi notificado nesta segunda-feira, 23, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 permaneça em 2.002 em todo o estado.

Sobre os casos de covid-19 no estado, acesse:

BOLETIM_AC_COVID_23_05_2022_PARCIAL

Sobre a ocupação de leitos no estado, acesse:

http://covid19.ac.gov.br/monitoramento/leitos

Rio Branco – AC, 23 de maio de 2022.

Secretaria de Estado de Saúde

Comentários

Continue lendo

Geral

Acre apresenta sinal de crescimento na tendência de longo prazo em casos de síndromes respiratórias

Publicado

em

Por

Dados da Fiocruz traz 18 estado com crescimento a longo prazo em casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A nível nacional há um aumento de casos de Covid-19 entre os vírus respiratórios.

Dados da Fiocruz mostram o Acre com tendência de longo prazo em casos de síndromes respiratórias  — Foto: Reprodução

Dados da Fiocruz mostram o Acre com tendência de longo prazo em casos de síndromes respiratórias — Foto: Reprodução

O Acre está entre os 18 estados que apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo em casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Os dados são da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) contabilizados entre os dias 8 a 14 de maio, correspondentes a Semana Epidemiológica (SE) 19.

As informações foram divulgadas na última sexta-feira (20). O estudo mostrou que, a nível nacional, há uma predominância de casos de Covid-19 entre os vírus respiratórios. Eles correspondem a 41,8% dos casos.

Os dados indicam ainda um crescimento no número de casos de SRAG em adultos. Já em crianças e adolescentes, existe uma estabilização de casos entre as faixas etárias de 0 a 4 anos e 5 a 11 anos.

Conforme o levantamento, além do Acre, os seguintes estados também apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo em casos de SRAG:

  • Alagoas
  • Amazonas
  • Amapá
  • Ceará
  • Minas Gerais
  • Mato Grosso do Sul
  • Mato Grosso
  • Paraíba
  • Pernambuco
  • Paraná
  • Rio de Janeiro
  • Rio Grande do Norte
  • Roraima
  • Rio Grande do Sul
  • Santa Catarina
  • São Paulo
  • Tocantins

 

O Distrito Federal, Goiás, Pará e Sergipe apresentam sinal de crescimento na tendência de curto prazo. O estado de Rio Grande do Sul também há registro de casos positivos de Influenza A entre crianças, adolescentes e adultos.

“O aumento de casos de SRAG na população adulta fez com que os resultados positivos voltem a ser de Sars-CoV-2. No Rio Grande do Sul, é possível observar que o aumento de casos de SRAG também está associado ao aumento de casos de Influenza A, ainda que em valores relativamente baixos e inferiores àqueles associados ao Sars-CoV-2”, destacou o coordenador e pesquisador do InfoGripe, Marcelo Gomes.

A capital acreana, Rio Branco, também está incluínda na lista de capitais com crescimento na tendêndia a longo prazo, juntamente com:

  • Aracaju (SE)
  • Boa Vista (RR)
  • Brasília (DF)
  • Cuiabá (MT)
  • Curitiba (PR)
  • Florianópolis (SC)
  • Fortaleza (CE)
  • Goiânia (GO)
  • João Pessoa (PB)
  • Macapá (AP)
  • Maceió (AL)
  • Manaus (AM)
  • Natal (RN)
  • Palmas (TO)
  • Porto Alegre (RS)
  • Recife (PE)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • São Luís (MA)
  • São Paulo (SP)
  • Vitória (ES).

 

(mais…)

Comentários

Continue lendo

Geral

Alan Rick comemora declaração de Gladson sobre sua pré-candidatura e exalta Bittar e Mailza

Publicado

em

Alan aproveitou a ocasião para defender a participação de Marcio Bittar (União Brasil) e Mailza Gomes na decisão a respeito da formação da chapa majoritária

O deputado federal Alan Rick (União Brasil) comentou nesta segunda-feira (23) a decisão do governador Gladson Cameli de o apoiar na disputa por uma vaga no Senado Federal nestas eleições de 2022.

Na ocasião, o político argumentou que recebeu a notícia com muita alegria, mas deixou claro que aguarda um posicionamento oficial nas convenções políticas que devem ser realizadas nos próximos dias.

“Fui surpreendido com essa notícia que me deixou muito alegre quando estava cumprindo agenda em Cruzeiro do Sul, mas isso será consolidado nas convenções partidárias que vão acontecer no mês de julho”, afirmou.

“Precisamos ter muita humildade. Não podemos fazer nenhum projeto para ajudar o povo do Acre sem unir forças”, continuou.

Alan aproveitou a ocasião para defender a participação de Marcio Bittar (União Brasil) e Mailza Gomes na decisão a respeito da formação da chapa majoritária.

“É muito importante o senador Marcio Bittar estar junto conosco dentro da formação dessa chapa, sendo reconhecido nesse momento importante, já que destinou tantas emendas para esse Estado e tanto nos ajudou ao lado do presidente Bolsonaro, além da senadora Mailza, que é uma grande parlamentar, amiga, honesta e parceira. Todos devem ser prestigiados. Nós temos uma aliança e ela é indispensável”, finalizou.

Comentários

Continue lendo

Em alta