A Polícia Civil do Acre, através da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE) de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, deflagrou nesta quarta-feira, 20, uma operação para combater ações de facções criminosas na região do Juruá.

Ao todo, a polícia cumpriu oito mandados de prisão, sendo dois homens presos em flagrante e um menor apreendido. Também foram apreendidos dinheiro, droga, aparelho de celular, uma arma e munição.

“Fizemos um trabalho de inteligência para atingir bairros específicos de Cruzeiro do Sul, dominados por uma organização criminosa. São ações de repressão ao tráfico e também de repressão a essa organização criminosa”, explicou o delegado Pedro Resende.

O delegado destaca que ano passado a polícia apreendeu mais de uma tonelada de drogas em todo o estado. “Fechamos 2018 com a maior apreensão de drogas dos últimos cinco anos. É muita droga. E esse trabalho tende a se intensificar cada vez mais”.

Na oportunidade, Resende reafirma que as fronteiras com a Bolívia e o Peru não possuem fiscalização, o que facilita a entrada de drogas pelo país. Na região do Juruá, o Rio Juruá-Mirim é porta de entrada de criminosas e drogas vindos do Peru.

“O trabalho de fiscalização e proteção de fronteira não é trabalho da Polícia Civil, é um trabalho da União através da Polícia Federal, Exército e Forças Armadas. Isso é o grande problema da polícia estadual, nós temos uma fronteira aberta, isso não é segredo pra ninguém”.

Apesar das dificuldades e falta de efetivo, o delegado diz que a Polícia Civil permanece no combate à criminalidade. “Aqui em Cruzeiro do Sul temos poucos policiais e delegados para atender toda a demanda de furtos, roubos domésticos, tráfico, organização criminosa, mas fazemos o que a gente consegue. Temos várias dificuldades, mas não podemos deixar de fazer o mínimo para tentar diminuir essa violência que toma conta do estado”.

Com informações do site Juruá em Tempo.

Comentários