Conecte-se conosco

Extra

Eleições 2022: Gladson lidera com 57%, Jorge Viana tem 19% e Petecão 9%, diz pesquisa

Publicado

em

Se as eleições de 2022 fossem em junho deste ano, o governador Gladson Cameli teria uma reeleição aparentemente tranquila. É o que aponta uma pesquisa do Instituto Data Control, encomendada pela Federação das Indústrias do Acre (Fieac).

No levantamento estimulado, Cameli (PP) aparece na liderança com 57,2%, contra 19,2% de Jorge Viana (PT). Sérgio Petecão (PSD) aparece na terceira colocação com 9,1%. O ex-presidente da Fieac, Francisco Salomão, também aparece na amostragem com 0,7%. Branco ou nulo registrou 7,1% e não souberam ou não responderam 6,7%.

A pesquisa ainda simulou um cenário estimulado sem a candidatura de Jorge Viana, o substituindo pelo empresário Adem Araújo, sócio-proprietário da Rede Arasuper. Nesta amostragem, a vantagem de Gladson sobre os adversários aumenta para 64,7%. Petecão aparece em segundo com 12,2%, Adem, surge com 2,8% e Salomão registra 1%. Brancos e nulos registraram 9,4% e não souberam ou não responderam marcou 9,9%.

Já no cenário espontâneo, Cameli aparece também na frente com 44,9%, seguido por Jorge com 8,6% e Petecão com 3,6%. Márcio Bittar aparece com 0,4%. Marcus Alexandre e Tião Bocalom declarou registraram 0,1, respectivamente. Branco ou nulo registrou 5,1%. Não responderam ou não souberam, 37,2%.

No quesito rejeição, o petista Jorge Viana lidera com 25,9%, seguido por Petecão com 22,1%. Cameli aparece com 10,6% e Salomão com 10,4%. Adem marcou 4,5%. Não rejeita nenhum registrou 22,1% e rejeita todos, 5,5%.

Mais de 67% aprovam governo de Gladson, aponta pesquisa Data Control/Fieac

Com relação a avaliação da atual gestão do Estado, 67,6% dos entrevistados avaliaram o trabalho do governador Gladson Cameli como ótimo e boa, sendo 16,5% ótimo e 51,1% bom. 18,9% consideram irregular.

Os quesitos ruim e péssimo registraram 6,7% e 4,3%, respectivamente. 2,5% não souberam opinar.

A pesquisa foi realizada entre o dias 11 a 20 de junho onde foram ouvidas 1.203 pessoas nas cidades de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Tarauacá, Feijó e Brasiléia. A margem de erro da amostragem é de 2,9% para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Comentários

Extra

Ex-agente penitenciário do Acre que decapitou esposa é condenado a 23 anos em regime fechado

Publicado

em

O ex-agente penitenciário Ivanhoé de Oliveira Lima foi condenado por ter decapitado a esposa Larissa Aurélia Costa Silva de 17 anos.

A decisão foi do Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar.

O réu terá que cumprir 23 anos de prisão em regime fechado.

Na mesma decisão o Juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar Alesson Braz negou ao acusado o direito de recorrer em liberdade da sentença em liberdade.

O julgamento foi realizada na manhã desta quarta-feira, 17, no Fórum Criminal da Comarca de Rio Branco.

Durante o interrogatório o ex-agente penitenciário assumiu a autoria do crime. Em juízo o réu disse, que matou a esposa porque estava sob efeito de entorpecentes.

O homicídio ocorreu em fevereiro de 2020, na residência do casal, localizada na Rua C, na Vila Jorge Kalume, na Estrada do Barro Vermelho.

Além de decapitar a esposa, o réu pegou a cabeça e jogou em frente a casa da mãe da vítima, que ficava a poucos metros do local do crime.

Comentários

Continue lendo

Extra

Ginásio de Esporte de Brasiléia sofre mais um arrombamento: Terceiro menos de um mês

Publicado

em

A gerencia de esportes do município de Brasiléia estará registrando na delegacia geral de Polícia Civil do Município, mais uma queixa por arrombamento e furtos ocorrido no ginásio de esportes, que está passando por reforma e ampliação.

Este seria o terceiro arrombamento registrado em dois meses. Em uma das invasões, foram levados equipamentos eletrônicos, computadores e pertences pessoais. Os ladrões se aproveitam da madrugada para arrombar as portas dos fundos que são de ferro, para acessar o ginásio e depois, a sala da gerência.

“Perdemos pouca coisa dessa vez, mas, arquivos importantes dos últimos eventos realizados no Município, que estavam guardados dentro de ‘pendrives’ que foram levados”, destacou um dos funcionários.

Material utilizados nas últimas partidas como cartões, apitos, bolas e um computador de mesa, entre outros objetos, foram roubados pelos ladrões. O Gerente de Esportes do Município, o ex-vereador Bil Rocha, confirmou o sinistro e que estará registrando a terceiro Boletim de Ocorrencia.

Comentários

Continue lendo

Extra

Sesacre e Direção de Hospital de Brasiléia poderão processar vereadora que acusou funcionários de ‘tráfico de órgão’

Publicado

em

Fachada da Câmara Municipal de Brasiléia – Foto: Alexandre Lima

A Sessão da Câmara de Brasiléia que todas as terças-feiras, teve um episódio que poderá acabar na justiça. A vereadora do PSB, Neiva Badotti, que é servidora da Saúde do Acre, usou seu tempo no púlpito onde é considerado inviolável, pra fazer graves denuncias contra a atual direção do Hospital Regional do Alto Acre.

As falas seguidas de ameaças feitas pela vereadora, diz que atuais gestores do hospital estariam tentando praticar possíveis crime de ‘tráfico de órgão’ para o lado da Bolívia. Deixando dúvidas sobre os colegas de profissão que vem atuando na regional.

A parlamentar mirim acusa o atual governo e não apresentou provas, mas, disse que tem muitas sobre assuntos ligados à saúde do estado e desafiou para que seja processada.

Em contato com a assessoria da Sesacre na Capital e Direção do Hospital, foi enviado à redação do jornal oaltoacre, uma Nota assina pelo atual diretor, Janildo Moraes Bezerra, onde pede que a Parlamentar se dirija à Ouvidoria do órgão e faça uma denuncia formal.

Comenta ainda que, caso haja veracidade após apuração dos fatos, as partes serão acionadas e devidamente responsabilizadas, caso não, deixaram a entender que deverão buscar seus direitos no âmbito jurídico, já que estão em conversas com advogados para serem orientados.

Segundo Janildo, se a denuncia for direcionada à órgãos humanos, destacou que o hospital não tem capacidade técnica para coleta e armazenamento de qualquer tipo de órgão.

Em tempo, o Inciso VIII do artigo 29 da Constituição assegura aos vereadores inviolabilidade por suas opiniões, palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do município. Mas, conforme decisão de um dos ministros, Luís Roberto Barroso, em um caso parecido disse que, “É fundamental, portanto, perceber que a imunidade material dos parlamentares confere às suas manifestações relacionadas ao exercício do respectivo mandato proteção adicional à liberdade de expressão. Considerar essas manifestações passíveis de responsabilização judicial quando acarretam ofensa a alguém…”.

Veja nota abaixo.

Em resposta aos relatos feitos pela vereadora do município de Brasileia, Neiva Badotti, durante sessão parlamentar ocorrida na Câmara de Vereadores, na última terça-feira, 16, destacamos que, antes de tudo, o hospital não desempenha qualquer atividade relacionada a doação ou transplante de órgãos, portanto a gestão desconhece tal acontecimento e solicita a nobre parlamentar que se dirija à ouvidoria da pasta, para a realização de uma denúncia formal, para que seja realizada a apuração dos fatos narrados. Caso haja comprovação, os responsáveis serão devidamente responsabilizados e punidos de acordo com o rigor da lei.

Janildo Moraes Bezerra

Gerente Geral do Hospital Geral de Brasileia


Veja abaixo os Artigos que pune quem pratica tais crimes relacionados ao tráfico de órgãos e tecidos:

Art. 15. Comprar ou vender tecidos, órgãos ou partes do corpo humano:  Ver tópico (288 documentos)

Pena – reclusão, de três a oito anos, e multa, de 200 a 360 dias-multa.

Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem promove, intermedeia, facilita ou aufere qualquer vantagem com a transação.  Ver tópico (90 documentos)

Art. 16. Realizar transplante ou enxerto utilizando tecidos, órgãos ou partes do corpo humano de que se tem ciência terem sido obtidos em desacordo com os dispositivos desta Lei:  Ver tópico (82 documentos)

Pena – reclusão, de um a seis anos, e multa, de 150 a 300 dias-multa.

Art. 17 Recolher, transportar, guardar ou distribuir partes do corpo humano de que se tem ciência terem sido obtidos em desacordo com os dispositivos desta Lei:  Ver tópico (102 documentos)

Pena – reclusão, de seis meses a dois anos, e multa, de 100 a 250 dias-multa.

Art. 18. Realizar transplante ou enxerto em desacordo com o disposto no art. 10 desta Lei e seu parágrafo único:  Ver tópico (15 documentos)

Pena – detenção, de seis meses a dois anos.

Art. 19. Deixar de recompor cadáver, devolvendo-lhe aspecto condigno, para sepultamento ou deixar de entregar ou retardar sua entrega aos familiares ou interessados:  Ver tópico (12 documentos)

Comentários

Continue lendo

Em alta