Dois times reclamaram da arbitragem, mas equipe mineira confirmou o favoritismo e conseguiu segundo título consecutivo com vitória por 2 a 1

Robinho, do Cruzeiro, comemora com seus companheiros após marcar gol durante partida contra o Corinthians, válida pela final da Copa do Brasil – 17/10/2018 (Thiago Bernardes/FramePhoto/Folhapress)

Alexandre Senechal e Luiz Felipe Castro, da Arena Corinthians

Cruzeiro é o maior campeão da Copa do Brasil. Em uma final emocionante e marcada por decisões controversas do árbitro assistente de vídeo (VAR, na sigla em inglês), o clube mineiro venceu o Corinthians por 2 a 1, em Itaquera, e conquistou o hexacampeonato do torneio. Robinho e o uruguaio De Arrascaeta marcaram os gols do Cruzeiro, que conquistou a vaga na Libertadores, além dos 50 milhões de reais de premiação.

O técnico Jair Ventura surpreendeu ao escalar Jonathas e o veterano Emerson Sheik entre os titulares do Corinthians, nas vagas de Mateus Vital e Clayson, mas as mexidas não surtiram efeito na primeira etapa diante da sempre bem postada defesa montada por Mano Menezes. A torcida tentou apoiar a equipe alvinegra, mas o Cruzeiro não perdoou as falhas individuais do adversário.

Aos 28 minutos, Romero errou uma inversão para o jovem zagueiro Léo Santos, que falhou feio no lance e foi desarmado. Na sobra, Hernán Barcos chutou na trave, mas no rebote, Robinho acertou um bonito chute, sem chances para Cássio. O time mineiro por pouco não ampliou com Dedé, que cabeceou na trave após cobrança de falta de Thiago Neves.

O Corinthians respondeu em cabeçada de Henrique, que passou raspando a trave de Fábio. O clube paulista, porém, mais uma vez não conseguiu finalizar na meta adversária e ainda teve quatro jogadores advertidos com cartão amarelo – Emerson Sheik, Jadson, Ralf e Gabriel.

Mano Menezes, técnico do Cruzeiro, comemora após conquistar o título da Copa do Brasil sobre o Corinthians – 17/10/2018 (Leonardo Benassatto/Reuters)

VAR entra em cena

Na segunda etapa, o juiz Wagner de Nascimento Magalhães e a arbitragem de vídeo comandada por Wilton Pereira Sampaio roubaram a cena. O Corinthians empatou em lance bastante controverso: Ralf caiu na área após leve toque de Thiago Neves e o árbitro ignorou, mas alertado pelo VAR, foi consultar o replay e, então, apontou a marca da cal, para protesto dos mineiros. Na cobrança, Jadson não desperdiçou.

Pouco depois, foi a vez de o Corinthians reclamar. Aos 25 minutos, Pedrinho, que havia acabado de entrar, marcou um golaço em chute de fora da área, mas novamente Wagner Magalhães recorreu à TV à beira do gramado e anulou o gol. Ele assinalou falta de Jadson em Dedé no início da jogada.

Já nos minutos finais, De Arrascaeta completou uma verdadeira maratona com um golaço histórico. Em contra-ataque, o meia da seleção uruguaia recebeu lindo passe de Raniel e, de frente para Cássio, definiu o jogo com um lindo toque por cobertura. Arrascaeta havia viajado mais de 24 horas desde o Japão, onde atuou pela seleção uruguaia na terça-feira, mas teve seu esforço recompensado.

Jogadores do Cruzeiro comemoram após conquistarem o título da Copa do Brasil sobre o Corinthians – 17/10/2018 (Leonardo Benassatto/Reuters)
Veja

Comentários