Em visita do ministro da Agricultura ao estado, Gladson pede oportunidade de crescimento para o Acre

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi, visitou o Acre nesta segunda-feira (13) para um encontro com o setor agrícola e do agronegócio do estado afirmando que recebeu um convite do senador Gladson Cameli (PP) para abrir um diálogo com os produtores rurais e empresários locais a fim de encontrar mecanismos que possibilitem o crescimento econômico do Acre, garantindo assim oportunidades de geração de emprego e renda.

Gladson Cameli e Blairo Maggi são correligionários no Partido Progressista (PP) e discutem uma segunda visita do ministro ao Acre ainda em 2017 para detalhar planos de desenvolvimento para a região juntamente com todas as categorias envolvidas com a atividade agroindustrial e agropecuária do estado. A pauta tem o apoio da Federação da Agricultura do Acre (FAEAC) e da Federação da Indústria do Acre (FIEAC), além da Associação Comercial (Acisa), entidades e empresários do ramo.

O senador Gladson Cameli agradeceu novamente a atenção do presidente Michel Temer para com o Acre e abriu parte de sua fala para que os produtores rurais tivessem mais tempo para dialogar com o ministro. “Creio que este encontro abre um novo momento de diálogo entre o governo federal, o parlamento e o setor produtivo. Tenho dedicado o meu mandato a bandeiras fundamentais para essa construção. Temos a Ponte sobre o Rio Madeira em fase avançada de construção. Teremos a partir deste verão um serviço respeitável de manutenção da BR 364 e já temos garantido o Anel Viário das cidades de Brasileia e Epitaciolândia. O que lhe peço, ministro, é o que o Acre precisa: oportunidade para crescer”, disse Cameli.

Blairo Maggi destacou o compromisso do Ministério da Agricultura com o desenvolvimento do país lembrando que respeitar as leis não é impedir o crescimento. Que é possível preservar e produzir ao mesmo tempo. Ele também disse que está aberto para ampliar as pesquisas com a Embrapa visando novos investimentos para o estado e ainda debater a viabilidade do intercâmbio comercial entre os estados do Acre e Rondônia com os países andinos como Peru e Bolívia.

Comentários