Archibaldo Antunes

Apesar da promessa, feita em janeiro, de quitar os salários atrasados das servidoras contratadas pelo programa Brasil Sem Miséria, idealizado pela presidente deposta Dilma Rousseff, a empresa de Assistência Técnica Extrativista Rural do Acre (Emater) continua inadimplente.

Cinco pessoas – três pessoas de Cruzeiro do Sul, uma de Mâncio Lima e outra de Rodrigues Alves – afirmam ainda não ter recebido a rescisão contratual e nem o pagamento relativo ao mês de abril de 2016. O contrato, que seria de dois anos, foi encerrado após 12 meses e meio de contratação.

A autora da denúncia, que pediu para não ter o nome divulgado, voltou a procurar o ac24horas nesta segunda-feira, 14, afirmando que a empresa não honrou com o compromisso assumido em janeiro.

Segundo ela, o Brasil Sem Miséria foi um programa criado pelo governo federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário, no mandato da presidente cassada Dilma Rousseff. Com a troca de comando no Planalto, o programa foi extinto, e os contratados no Estado ficaram sem receber.

Em contato, na época, com a assessoria de imprensa da Emater, a denúncia foi confirmada pela diretora-presidente do órgão, Socorro Ribeiro. Ela se comprometeu a pagar as servidoras demitidas no final de janeiro, o que até o momento não aconteceu.

Comentários