Emater continua a dar calote em servidoras programa Brasil Sem Miséria

Archibaldo Antunes

Apesar da promessa, feita em janeiro, de quitar os salários atrasados das servidoras contratadas pelo programa Brasil Sem Miséria, idealizado pela presidente deposta Dilma Rousseff, a empresa de Assistência Técnica Extrativista Rural do Acre (Emater) continua inadimplente.

Cinco pessoas – três pessoas de Cruzeiro do Sul, uma de Mâncio Lima e outra de Rodrigues Alves – afirmam ainda não ter recebido a rescisão contratual e nem o pagamento relativo ao mês de abril de 2016. O contrato, que seria de dois anos, foi encerrado após 12 meses e meio de contratação.

A autora da denúncia, que pediu para não ter o nome divulgado, voltou a procurar o ac24horas nesta segunda-feira, 14, afirmando que a empresa não honrou com o compromisso assumido em janeiro.

Segundo ela, o Brasil Sem Miséria foi um programa criado pelo governo federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário, no mandato da presidente cassada Dilma Rousseff. Com a troca de comando no Planalto, o programa foi extinto, e os contratados no Estado ficaram sem receber.

Em contato, na época, com a assessoria de imprensa da Emater, a denúncia foi confirmada pela diretora-presidente do órgão, Socorro Ribeiro. Ela se comprometeu a pagar as servidoras demitidas no final de janeiro, o que até o momento não aconteceu.

Comentários