Com informações do ac24horas

Quem pensou que as campanhas do governador Sebastião Viana e do deputado federal Sibá Machado, ambos do PT, que foram as únicas a receberem dinheiro de fontes suspeitas, como das empresas envolvidas no escândalo da Operação Lava Jato, se enganou. Nas prestações de contas do Tribunal Superior Eleitoral de 2014, aparecem doações, também para os candidatos oposicionistas Marcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalom (DEM).

Santos-in

Em pesquisa realizada nas planilhas de prestação de contas de campanha, o tucano e o democrata registraram doações das empresas Andrade Gutierrez e UTC Engenharia. Juntas, as empresas doaram R$ 340 mil para a campanha da oposição. O diretório da campanha de Bittar recebeu R$ 240 mil da Andrade Gutierrez e uma das contas de campanha do Bocalom registrou R$ 100 mil da UTC Engenharia, ambas investigadas pela Polícia Federal por suposto pagamento de propinas a políticos e funcionários da Petrobras em troca da obtenção de contratos superfaturados com a estatal.

FIQUE POR DENTRO
-Campanha de Sibá Machado recebeu R$ 120 mil de empresas envolvidas na Lava Jato
PF encontra nome de Sibá Machado em supostas anotações de repasses de dinheiro
 PT no Acre arrecadou mais de R$ 14 milhões nas eleições de 2014
– Dinheiro de empresas envolvidas na Lava Jato foi doado para a campanha de Sebastião

LIGAÇÕES PERIGOSAS
A UTC Engenharia, doadora da campanha de Bocalom, foi acusada pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa ,de separar 3% dos valores de contratos com a Petrobras para destinar ao pagamento de propinas. A mesma empresa doou nestas eleições dinheiro para campanha da petista Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

Já em relação a Andrade Gutierrez, as consequências da operação Lava Jato são ainda uma incógnita, mas o colunista da Veja, Lauro Jardim admite que “o foco poderá voltar para a empreiteira”. Apesar de ter ficado de fora da série de prisões de executivos, alguns depoimentos podem comprometer a empresa nos próximos meses.

INCOMUNICÁVEIS
A reportagem do ac24horas tentou entrar em contato com Marcio Bittar e Tião Bocalom, para que ambos comentassem sobre as doações, mas os telefonemas só caiam na caixa de mensagem.

Comentários