O homem encontrado morto na madrugada deste sábado (20) na BR-364, próximo a ponte da comunidade Lagoinha foi atropelado pelo próprio irmão.

Lailton Aguiar estava deitado na rodovia quando foi atropelado pelo próprio irmão (Foto: Arquivo pessoal)
Redação com G1/Acre

O motorista, identificado como Geovane Nogueira de Holanda, 32 anos, disse que passava pelo local quando atropelou um homem que estava deitado no asfalto, e depois fugiu com medo de represálias.

O pesadelo para Geovane não foi só ter matada uma pessoa. Um primo dele, Cleyton Holanda, disse ao site G1 que ele ficou inconformado quando descobriu que matou o próprio irmão, Lailton Oliveira Aguiar, de 21 anos.

___________________________________

‘Ele está em estado de choque’, diz primo do motorista. Vítima tinha passado a noite em uma festa e estava deitado na rodovia, segundo primo.

___________________________________

Geovane procurou o primo, que é policial militar para contar que havia atropelado uma pessoa. Cleyton acionou o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), e ao chegar ao local descobriu que se tratava do irmão de Geovane.

“Foi uma tragédia. Os dois eram irmãos por parte de pai. Meu primo tinha ido buscar os filhos na casa da madrasta e próximo ao destino passou por cima de uma pessoa que estava deitada na via. Ele alega que tinha pouca visibilidade devido à cerração. Após o acidente, com medo de represália, veio à minha casa e contou o ocorrido”, disse Cleyton ao G1.

____________________________

Cleyton conta que quando Gevane soube que tinha matado o irmão, entrou em paranóia. “Está tomando medicação e não consegue comer nem dormir”.

____________________________

A vítima, que tinha passado a noite em uma festa, havia ameaçado algumas pessoas com um serrote. Um dos irmãos ainda tentou acalmá-lo, mas foi atingido com um soco no rosto e saiu do local. A polícia ainda não sabe se Lailton foi morto antes ou depois do acidente.

“Meu primo ficou em minha casa. Quando eu cheguei ao local [do acidente], já havia uma guarnição e identifiquei que se tratava do irmão do meu primo. Conversei com o delegado Luis Tonini, falei da situação em que se encontrava meu primo. Ele está em estado de choque. Quando soube que se tratava de seu irmão, entrou em paranóia. Está tomando medicação e não consegue comer nem dormir”, conta.

Ele revela que a vítima tinha passado a noite em uma festa.

“Há informações de que a vítima havia passado a noite em uma festa e, momentos antes, estava com um serrote ameaçando as pessoas e carros que passavam. Um outro irmão foi tentar tirá-lo da BR, mas foi atingido com um soco no rosto e decidiu sair do local. Existe um mistério, ninguém sabe se a vítima estava viva ou já estava morta na hora do acidente”, especula Holanda.

Comentários