Acre é o quarto que possui mais casos registrados entre janeiro e março deste ano

Entre os nove estados da Região Amazônica, que concentra mais de 99% dos casos de malária, o Acre é o quarto que possui mais casos registrados entre janeiro e março deste ano, com mais de três mil pessoas diagnosticadas com a doença. Então, fica o alerta para os acreanos ficarem atentos com os sintomas e buscarem o tratamento caso forem identificados com malária. Isso porque, a região de clima quente é propícia para a multiplicação do transmissor, a fêmea infectada do mosquito chamado Anopheles – popularmente conhecido como mosquito carapanã.

As áreas de maior presença do mosquito são as regiões de mata, assentamentos rurais, garimpos, periferias e áreas indígenas. Para orientar melhorar a população em se prevenir contra o mosquito, o técnico do Programa Estadual da Malária no Acre, Dorian de Lima, explica os principais cuidados com a doença.

“Os sintomas da doença são febre, dores no corpo, olhos amarelados, dores de cabeça. Evitem ficar expostos, usar repelentes, se possível. Os pacientes devem seguir de forma correta o uso do medicamento para evitar a evolução da doença. Hoje, temos 111 postos de diagnóstico espalhados pelo estado.”

Dorian ainda informou dados atualizados sobre os municípios do Acre com maior número de casos de janeiro a março deste ano. Em primeiro, está Cruzeiro do Sul, com mais de mil e quinhentas identificações; Mâncio Lima, em segundo, com pouco mais de mil pessoas diagnosticadas; e o terceiro município é Rodrigues Alves, com mais de 500 casos.

A cozinheira Tayane Castro foi diagnosticada com malária no último dia 23 de abril. A moradora de Cruzeiro do Sul não pensou duas vezes em iniciar o tratamento, e desde então, toma o medicamento da forma correta. Ela conta o motivo para fazer o tratamento e deixa um conselho para as pessoas se prevenirem da malária.

“Estava me sentindo muito mal, com febre e dor de cabeça. Então, resolvi buscar um posto de saúde. Lá, já me passaram medicamento para tomar. Então, acho muito importante tomar todos os remédios corretamente para obter a cura. Para nós, moradores da área rural, os agentes de saúde recomendam ficar em casa, a partir das seis horas da tarde, com a casa fechada, para evitar o carapanã. Usar sempre cortina, repelente…”.

A malária é uma doença infecciosa febril aguda. Em caso de febres altas, calafrios, sudorese, tremores e dores de cabeça, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Segundo o Ministério da Saúde, o diagnóstico precoce e o tratamento oferecido são fundamentais para a cura desta doença que pode matar. Para mais informações, acesse saude.gov.br/malaria.

Comentários