O ex-líder do PT na Câmara Sibá Machado (PT-AC) disse ao Congresso em Foco na tarde de ontem que a 23ª fase da Operação Lava Jato – batizada de Acarajé – não passa de mais um ato para criminalizar a legenda. O deputado diz que são infundadas asdenúncias contra o marqueteiro da campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff, cuja prisão foi decretada hoje. João Santana é acusado pela Polícia Federal de receber US$ 7,5 milhões em transações realizadas no exterior –dinheiro que seria fruto de propina do esquema de corrupção na Petrobras.

SIBÁ_E_MORO

Sibá exigiu mais rigor da Justiça em relação às decisões do juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações da operação em primeira instância. Para o deputado da base governista, o fato de o publicitário ter se disponibilizado para prestar esclarecimentos à Lava Jato demonstra que “as denúncias não passam de uma armação”. Sibá afirmou, ainda, que o PT “está preparado” para os próximos capítulos das investigações.

“Toda vez que tratam do PT é esse negócio, um show malabarismo da Justiça que não bota freio no Sergio Moro. Isso ainda vai acabar muito mal para o Brasil”, avaliou o petista.

Mensalão

Há 11 anos, o escândalo do mensalão contou com a confissão do publicitário Duda Mendonça, marqueteiro da campanha eleitoral do ex-presidente Lula, sobre a remessa de dinheiro de caixa dois para o exterior. A declaração foi feita em 11 de agosto de 2005, durante o primeiro mandato de Lula. A analogia entre esse caso e o petrolão foi feita pelo deputado Roberto Freire (PPS-SP), presidente nacional do partido, em entrevista aosite.

“Eles nunca se preocuparam com o mínimo caráter de legalidade ou seriedade no trato da questão pública. Lula fez com Duda na campanha de 2002 e, agora, Dilma faz com Santana. O problema é que mesmo com a confissão pública no Mensalão, nada foi feito. Agora, a fundamentação do pedido de prisão é em cima de documentação bancária muito consistente. Não sei se vão ter condições de desmentir a Lava Jato”, questionou Freire, alegando que a Polícia Federal está “com o domínio da situação”.

“Quando menos esperamos eles trazem nova operação com condenações e resultados intrigantes”, ponderou.

Fonte: Diretodoplanalto

Comentários