Conecte-se conosco

Flash

Ex-prefeito de Rio Branco é denunciado suspeito de peculato e formação de quadrilha por desvio de R$ 7 milhões na Emurb

Publicado

em

Ex-prefeito Marcus Alexandre foi denunciado pelo Gaeco sobre fraude de R$ 7 milhões na Emurb em 2016, durante a Operação Midas.

Ex-gestor afirmou que ainda não foi notificado, que vai apresentar a defesa quando for solicitado, e se diz inocente das acusações.

Ex-prefeito Marcus Alexandre foi denunciado pelo Gaeco na Operação Midas que descobriu fraude de R$ 7 milhões na Emurb em 2016 — Foto: Veriana Ribeiro/G1/Arquivo

 Por Aline Nascimento

Ex-gestor afirmou que ainda não foi notificado, que vai apresentar a defesa quando for solicitado, e se diz inocente das acusações.

O ex-prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre foi denunciado à Justiça por peculato e formação de quadrilha sobre a investigação que descobriu uma fraude de R$ 7 milhões em verbas públicas da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). A investigação foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Acre (MP-AC).

A assessoria do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) confirmou que a denúncia contra Marcus Alexandre feita pelo MP-AC foi acatada, mas que ainda não foi publicada no Diário Oficial do TJ-AC. O processo está em segredo de Justiça.

A primeira fase da Operação Midas foi deflagrada em setembro de 2016 pelo Gaeco. Na época, foram cumpridos oito mandados judiciais de busca e apreensão, além de três inspeções em órgãos públicos, incluindo a Emurb.

Um ano depois, o Gaeco realizou a 2ª fase da Operação Midas e divulgou que descobriu uma fraude em notas fiscais emitidas na Emurb que gerou um desvio de R$ 7 milhões em verbas públicas. Na ação, 18 pessoas foram presas, das quais nove eram funcionários do órgão, sendo que três ainda trabalhavam no local. Os demais eram empresários que mantinham contrato com a Emurb. Dois quadriciclos foram apreendidos e foi feita a indisponibilidade dos bens de todos os presos.

Entre os presos, segundo a Polícia Civil, estava o ex-diretor-presidente da Emurb, Jackson Marinheiro.

A reportagem, o ex-prefeito disse que ainda não foi notificado pela Justiça, mas vai apresentar a defesa dele logo que for avisado oficialmente. Marcus Alexandre se disse surpreso com a denúncia do Gaeco porque não era investigado no caso e sempre se colocou à disposição para todos os esclarecimentos.

“Coloquei a prefeitura e prestei todas as informações que foram solicitadas pelo Ministério Público. Desde o início das investigações, chamei o procurador do município e pedi que fossem dadas todas as informações prestadas, tinha grande interesse que as coisas fossem desvendadas. E também, todas as medidas que o Ministério Público pediu que eu fizesse, como suspensão de contratos, pagamentos diante da operação, nós fizemos”, se defendeu.

Equipe do Gaeco cumpriu mandados na Emurb, em Rio Branco, em 2016 durante a Operação Midas — Foto: Aline Nascimento/G1/Arquivo

Denúncia após mais de 4 anos

O ex-gestor destacou também que ficou surpreso com o tempo que levou para que a denúncia fosse oferecida pelo órgão, mais de quatro anos depois. Ele disse que é perseguido após o mandado, que já foram abertos 46 processos contra ele e nunca acharam irregularidades.

“Abriram contra mim 46 processos, quebraram meus sigilos bancários, telefônicos e outros, que não deve não teme, vasculharam toda a minha vida. Dos processos, 43 foram arquivados e porque agora, quatro anos depois, nem prefeito sou mais. É muito estranho isso, infelizmente, mas, estou absolutamente tranquilo”, argumentou.

Comentários

Acre

No Acre, número de pessoas desaparecidas aumenta em mais de 40% em 2021

Publicado

em

O número de registros de desaparecimento no estado do Acre aumentou 42,1% em 2021 na comparação com o ano passado. Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado na última semana. 

Em números, em 2020 foram 229 registros de pessoas desaparecidas no Acre, dentre elas apenas 34 foram localizadas, segundo os dados. Já em 2021, o número subiu para 330 registros e 25 encontradas. 

A taxa de pessoas desaparecidas em 2020, para cada 100 mil habitantes é de 25,6 e em 2021, é de 63,4. Na variação em comparação ao ano anterior, o Acre está abaixo do Pará com 146,6%, Rio Grande do Norte com 120,8% e Tocantins com 67,2%.

Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o monitoramento das estatísticas de desaparecimentos é feito com base nas informações fornecidas pelos Boletins de Ocorrências das Polícias Civis dos estados. 

“Nos últimos cinco anos, ao menos 369.737 registros de pessoas desaparecidas foram feitos no Brasil, média de 203 casos diários. Os números não correspondem, no entanto, ao total de pessoas desaparecidas: uma pessoa pode ter mais de um registro de desaparecimento, feito por diferentes familiares, assim como em um boletim de ocorrência pode constar mais de uma pessoa desaparecida”, diz o Anuário.

Comentários

Continue lendo

Flash

Acre registra 162 novos casos de Covid-19 neste domingo

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), informa que foram registrados 162 novos casos de coronavírus neste domingo, 3, de julho. O número de infectados é de 127. 066 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 332.831 notificações de contaminação pela doença, sendo que 205.740 casos foram descartados e 25 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen).

Pelo menos 123.159 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 6 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Nenhum óbito foi notificado neste domingo, 3, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 permaneça em 2.004 em todo o estado.

Comentários

Continue lendo

Flash

PM diz que realizou mais de 5,2 mil operações no 1º semestre de 2022 no Acre

Publicado

em

A Polícia Militar do Acre divulgou neste sábado (2) o balanço de ações do primeiro semestre de 2022. De janeiro a junho foram 5.277 operações, ou cerca de 30 ao dia no período. Foram conduzidas 3.317 pessoas às delegacias do Acre e cumpridos 230 mandados de prisão.

Ao menos 487 armas foram apreendidas em seis meses e 364 veículos recuperados.

Segundo o informe do Comando Geral da PM, o tráfico sofreu relevante abalo com 1.135 apreensões de droga. Foram realizadas 112.761 abordagens.

Além das ações de rotina, as grandes operações foram intensificadas. Neste fim de semana, por exemplo, o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) deu início à Operação Bioma, que visa realizar ações preventivas e repressivas aos ilícitos ambientais em diversos municípios do Estado, com foco no desmatamento ilegal.

Comentários

Continue lendo

Em alta