Francimar Bodão vai competir pela Professional Fighter League (PFL), dos Estados Unidos. Primeira luta é no dia 7 de junho contra rival norte-americano. Evento premia campeão com $ 1 milhão

Após cinco anos no UFC, Francimar Bodão vai competir por liga americana de MMA em 2018 (Foto: Evelyn Rodrigues)

O lutador acreano Francimar Bodão, ex-UFC, tem futuro definido para o restante da temporada 2018. Quase um mês depois de se desligar da principal evento de MMA do planeta, ele confirmou ao GloboEsporte.com que vai competir na Professional Fighters League (PFL), tradicional evento dos Estados Unidos. O atleta assinou contrato para a disputa do um Grande Prêmio que dará ao campeão o prêmio de $ 1 milhão.

Segundo Bodão, o convite para participar do evento foi feito pouco antes da saída do UFC, mas como ainda tinha contrato em vigor com a organização, o acordo não foi efetivado.

– Estou bem feliz com essa nova etapa da minha vida e da minha carreira. O pessoal me recebeu superbém, me valorizaram muito bem. Estão me tratando muito bem e estou muito feliz com tudo isso. É um GP de peso-pesado e um de 93kg, de meio pesado. É um evento muito importante, um GP milionário, que no final o campeão ganha $ 1 milhão e o segundo lugar ganha $ 300 mil. Mas durante o GP você vai ganhando por luta. As bolsas variam entre $ 100 e $ 50 mil. Até o final do ano tenho compromisso com essa organização – comenta.

Bodão está em Las Vegas (EUA), onde fica localizada a sede da PFL, se preparando para o primeiro compromisso. Ele fará duas lutas antes de entrar na fase de quartas de final do GP. A primeira será no dia 7 de junho, contra o norte-americano Daniel “Big Kansas” Gallemore, 32 anos, que tem passagens por UFC e Bellator.

– As primeiras duas (lutas) é pra entrar no GP, a terceira é pelas quartas de final. Se não me engano, ele vem de vitória. É uma luta bem dura, mas estou acostumado com esses desafios já e vamos pra cima dele. Estou aqui pra me preparar. Comecei a preparação tem uma semana aqui em Las Vegas – conta.

O lutador brasileiro fica nos Estados Unidos até a data da primeira luta, em junho. O combate deve ser realizado cidade de Nova Iorque. Depois do evento, retorna ao Brasil para três semanas de descanso. Em seguida, volta para os treinos nos Estados Unidos para se preparar para o segundo combate. Ele conta que já recebeu proposta da PFL para fazer parte do evento em 2019.

– Estão fechando o GP do próximo ano e já fizeram proposta para não me comprometer com ninguém que minha vaga está garantida – conclui.

Comentários