Conecte-se conosco

Acre

Falha no ConecteSUS deixa acreanos sem acesso a cartão de vacinação e afeta aplicação de doses contra Covid em Rio Branco

Publicado

em

PNI orienta que população aguarde normalização do aplicativo. Por conta do problema, quem precisa tomar segunda dose ou dose de reforça e perdeu a carteira não vai poder ser imunizado.

Por Iryá Rodrigues, g1 AC

Falha no ConecteSUS deixa acreanos sem acesso a cartão de vacinação e afeta aplicação de doses contra Covid em Rio Branco — Foto: Iryá Rodrigues/g1

O aplicativo e o site do ConecteSUS não estão disponíveis para a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, que é exigido para acessar órgãos públicos e outros estabelecimentos no Acre. Como no estado não há outra forma de emissão desse certificado, os acreanos que perderam a primeira via da carteira de vacinação estão sem acesso ao comprovante.

Além disso, aqueles que não têm mais a carteira de vacinação não vão ter como receber a segunda dose ou dose de reforço nesta sexta-feira (10) em Rio Branco, porque a equipe de saúde não tem como confirmar se a primeira dose foi aplicada. A informação foi confirmada ao g1 pela coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Socorro Martins.

“Temos como fazer a aplicação de primeira dose e deixar registrado em papel para depois passar para o sistema. Mas, no caso da segunda dose e dose de reforço, a pessoa precisa levar a carteirinha de vacinação, para comprovar que recebeu a dose anterior”, afirmou Socorro.

A exigência da apresentação do cartão de vacinação contra a Covid-19 para acesso em órgãos e repartições públicas do Acre e eventos com mais de 100 pessoas passou a valer no último dia 29 no estado acreano, após publicação de decreto assinado pelo governador Gladson Cameli.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Acre (PNI), Renata Quiles, informou que não há outra forma de consulta aberta ao público e orientou que a população aguarde a normalização do aplicativo.

“O sistema para consulta de situação vacinal do cidadão está operando normalmente, mas este é interno e não é de acesso da população. Neste momento não tem outra forma de acesso [para a população], somente pelo Ministério [que está fora]. É preciso guardar o retorno do ConecteSus”, informou a coordenadora.

Ataque Hacker

Os relatos de usuários que não conseguiram acessar a plataforma nacional começaram a surgir pouco após um ataque hacker aos sites do Ministério da Saúde e do ConecteSUS. Nas duas páginas, os invasores escreveram que o portal sofreu um “ransomware” e que “50 TB de dados foram copiados e excluídos”.

Pouco antes das 7h, a mensagem não era mais exibida nos sites, mas eles continuavam inacessíveis.

Ransomware é um tipo de vírus que sequestra o conteúdo do computador da vítima e cobra um valor em dinheiro pelo resgate, geralmente usando a moeda virtual bitcoin, o que dificulta rastrear o criminoso.

Este tipo de “vírus sequestrador” age codificando os dados do sistema operacional de forma com que o usuário não tenha mais acesso.

O Lapsus$ Group assumiu a autoria do ataque cibernético ao deixar a mensagem “nos contate caso queiram o retorno dos dados” nas páginas dos sites que saíram do ar. Antes do fim da madrugada, a mensagem ficou intermitente até sumir dos dois portais.

Vacinação em Rio Branco

A Saúde de Rio Branco começa a aplicar a dose de reforço da Janssen a partir desta sexta-feira (10) nos moradores. A dose é disponibilizada apenas para quem tomou a primeira dose do grupo Johnson & Johnson.

As equipes de saúde atendem das 8h às 16h em 12 pontos de imunização. O morador precisa apresentar a carteirinha de vacinação comprovando que tomou a 1ª dose da Janssen.

Além da dose da Johnson, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) continua disponibilizando a 1ª, 2ª e dose de reforço de outros imunizantes contra a Covid-19 nesta sexta.

A 1ª e 2ª dose é disponibilizada para pessoas com mais de 12 anos. Já a dose de reforço de outros laboratórios é aplicada em adultos acima dos 18 anos que tenham completado 5 meses desde a última dose e pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos).

 

Comentários

Acre

Polícia Civil investiga contas falsas em redes sociais para atacar honra de prefeito de Assis Brasil

Publicado

em

Prefeito Jerry Coreia e o vice Reginaldo Martins no dia da posse – Foto: arquivo/secom

A Procuradoria Jurídica do município de Assis Brasil ingressou com pedido de investigação contra contas falsas no Facebook e Instagram criadas para atacar a gestão e honra do prefeito e vice-prefeito de Assis Brasil. Os perfis investigados são contas falsas denominadas Zé de Assis, The Focus e Tríplice.fronteira_emtemporeal.

Segundo o Código Penal os criminosos uma vez identificados podem pegar até um ano de reclusão. A Constituição Federal defende a liberdade de expressão, mas veda o anonimato.

Segundo o Procurador Jurídico do município, Giordano Simplício, hoje em dia esse tipo de crime tornou-se fácil de identificar seus autores, por conta dos avanços tecnológicos e o treinamento especializado dos agentes.

“É bom lembrar que comete crime tanto quem cria perfis falsos como quem compartilha esse tipo de ilícito. Já existe no Acre uma Delegacia especializada em crimes cibernéticos”, disse o procurador.

Comentários

Continue lendo

Acre

Após apreensão, comandante de Pando devolve motocicleta roubada ao lado brasileiro

Publicado

em

Na data de ontem, 19, o comandante do departamento de Polícia de Pando fez a devolução de uma motocicleta denunciado como roubado no lado brasileiro.

A motocicleta foi recebida pela Polícia Civil, através do Delegado Ricardo Castro que em seguida foi devolvida ao proprietário do veiculo.

Comumente ambos os departamentos fazem a devolução de veículos para o país de origem, a parceria entre a polícia boliviana e brasileira tornou possível tal ato, o veiculo é devolvido ao proprietário sempre que o mesmo comprovar que o veiculo pertence a ele(a).

Comentários

Continue lendo

Acre

Alan Rick destaca assistência médica nos rincões do país

Publicado

em

Em entrevista ao programa Jogo Rápido, da Agência Câmara de Notícias, o deputado Alan Rick ressaltou a importância da assistência médica integral nos municípios mais distantes dos grandes centros urbanos.

“Um dos grandes desafios do Brasil é garantir o provimento médico nos lugares mais distantes, nos municípios mais pobres, nas áreas de mais necessidade. E foi pensando nisso que em 2016 apresentei emenda à lei do programa Mais Médicos, que hoje possibilita que os brasileiros formados no exterior tenham prioridade na contratação”, disse o parlamentar.

Segundo ele, os médicos formados no exterior são aqueles que permanecem nas unidades de saúde.

Comentários

Continue lendo

Em alta