Lúcio Torres moravam no Acre há 8 meses, segundo a família (Foto: Arquivo da família)

Após 10 dias, uma família de Rondônia reconheceu o homem encontrado morto dentro de um reservatório desativado em Rio Branco. A vítima foi identificado como Lúcio Torres dos Santos, de 36 anos. O reconhecimento foi feito através de fotos e do exame de DNA.

O cadáver, que estava em estado de decomposição, foi encontrado no último dia 25 por um adolescente de 15 anos e foi enterrado como indigente. O Corpo de Bombeiros chegou a informar que o homem estava só de cueca e a suspeita era que ele tivesse morrido afogado. Porém, o laudo cadavérico apontou morte indeterminada.

Ao G1, um parente de Santos contou que ele estava no Acre há oito meses e trabalhava como autônomo. Segundo a família, um amigo que morava no mesmo hotel que Santos ligou para uma irmã dele para avisar. A família pediu para não divulgar o nome do parente que conversou com a reportagem.

“Trabalhava revendendo as coisas. Ficou hospedado em um hotel. Saiu cedo, no sábado [24], para vender as coisas dele. O dono do hotel disse que ele não retornou à noite, que era acostumado todo dia retornar para o hotel, mas esse dia não retornou”, explicou.

Ainda segundo o parente, a família não tinha conhecimento se Santos era usuário de drogas.

“Quando saiu lá de casa não sabíamos que ele usava essas porcarias. Se começou a usar foi para cá. A primeira vez que vi a foto já confirmei que era ele. Só que deram umas contradições em relação as digitais, tornaram a fazer de novo, mas é ele mesmo. É difícil”, lamentou.

Comentários