‘Fizemos as buscas e agora é esperar em Deus’, diz filho.
Aposentada desapareceu no dia 9 de novembro.

dona-ritaG1

A família da aposentada Rita Rodrigues, de 65 anos, decidiu, nesta segunda-feira (14), suspender as buscas pela idosa. Ela desapareceu no dia 9 de novembro da casa onde vive com a filha e o genro, em um ramal no km 67 da rodovia BR-317, na zona rural do município de Epitaciolândia, interior do Acre.

Rita tem Alzheimer e tomava remédios controlados, segundo o filho, o autônomo Berenildo Rodrigues, de 42 anos.

Ele conta que a família se reuniu e desistiu das buscas após 6 dias de procura pela idosa na mata.

“Reunimos a família e decidimos cancelar as buscas. A gente não sabe nem o que pensar, porque as possibilidade de buscas, na vizinhaça, nas redondezas se esgotaram. Foram mais de 100 homens. Não tem condições de ela estar lá, a gente já fez busca na Bolívia, Basileia e Epitaciolândia”, conta.

O filho também conta que Rita já havia fugido uma vez e se escondido, mas que a família a encontrou rapidamente. Rodrigues diz ainda que os seis filhos devem ir até Epitaciolândia para dar uma força ao pai, de 67 anos.

“Meu pai tem uma saúde muito debilitada. Por isso, vamos dar um apoio para ele. A possibilidade dela estar viva é muito remota, mas agora é esperar em Deus a resposta que estamos pedindo”, lamenta.

 

Comentários