Conecte-se conosco

Acre

Força tarefa de segurança pública desarticula organização criminosa que lavava dinheiro do tráfico de drogas e cumpre mandados em quatro estados

Publicado

em

A Força Tarefa de Segurança Pública do Acre, composta pela Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar, deflagrou nesta quarta-feira (01/12/2021) a operação HÉSTIA, com o objetivo de combater uma organização criminosa dedicada à lavagem de dinheiro oriunda do tráfico de drogas que atuava em quatro estados (AC, AM, RJ e RN).

A investigação teve início em janeiro deste ano e revelou um esquema profissional responsável pela administração de valores provenientes de fontes ilícitas, movimentado através de empresas “laranjas”, objetivando ocultar bens e valores, dissimular sua origem e reinserir os ativos no mercado com aparência de legalidade.

Para lavar o dinheiro proveniente das atividades criminosas, um núcleo – liderado por um empresário acreano do ramo de venda de extintores – se utilizava de sete empresas sediadas em Rio Branco/AC, Epitaciolândia/AC e Cruzeiro do Sul/AC, a fim de simular um funcionamento regular dos estabelecimentos para justificar os valores e bens obtidos com o lucro do tráfico interestadual de drogas.

O trabalho de inteligência desenvolvido pela Força Tarefa de Segurança Pública do Acre possibilitou a identificação do principal líder da organização criminosa. O mesmo encontra-se foragido desde 2017 quando estava cumprindo pena na penitenciária estadual do Acre, contudo, conseguiu uma fuga cinematográfica de um hospital em Rio Branco-AC, após fazer um buraco no forro do banheiro do apartamento que estava internado para um procedimento cirúrgico.

A ação contou com o apoio operacional de policiais federais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes/RJ e de policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) do estado do Rio de Janeiro.

Cumprindo os parâmetros de excepcionalidade previstos na ADPF 635/STF, a Polícia Federal e o BOPE diligenciaram até a Maré com o objetivo específico de cumprir dois mandados judiciais de prisão e dois de busca e apreensão expedidos pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas de Rio Branco-AC, no entanto, ao chegar na entrada da comunidade, os policiais foram recebidos a tiros por traficantes.

Durante a ação os policiais apreenderam um fuzil, diversos carregadores de fuzil, uma pistola, munições, granada, drogas e rádios comunicadores.

O líder da organização criminosa ostentava uma vida de luxo ao redor de sua família na comunidade da Maré. O criminoso – apontado pelas forças de segurança pública do Acre como o mais procurado do estado – construiu um imóvel de luxo dentro da comunidade que contava com piscina e banheira de hidromassagem. Ele ainda tem a proteção de traficantes locais.

Os investigados movimentaram mais de 43 milhões de reais em suas contas bancárias durante o período apurado, grande parte através de transações em espécie – inclusive para o exterior – bem como investimentos em gado e imóveis. Ao todo, foram bloqueados judicialmente mais de R$ 19 milhões em bens da organização criminosa.

A operação conta com a participação de 150 policiais que cumprem 37 mandados de busca e apreensão domiciliar e 10 mandados de prisão preventiva em quatro estados, nas cidades de Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC, Epitaciolândia/AC, Rio de Janeiro/RJ, Natal/RN e Boca do Acre/AM. As buscas contaram com o apoio de um helicóptero da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Acre.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de integrar organização criminosa, lavagem de dinheiro e tráfico interestadual de drogas, cujas penas somadas podem chegar a 33 anos de prisão.

O nome da operação, HÉSTIA, faz alusão à mitologia grega e representa a Deusa do Fogo, para se contrapor à principal atividade econômica exercida de maneira dissimulada pelos investigados, isto é, o comércio de extintores de incêndio. O fogo de Héstia simboliza também a vida, a cidade, a proteção e o sacrifício.

Comentários

Acre

Pai reage e atira em assaltante que fez filha refém com arma de brinquedo no Acre

Publicado

em

Um adolescente de 16 anos foi ferido com dois tiros na noite desse domingo, 23, após invadir uma residência, render uma pessoa e tentar roubar uma caminhonete numa casa localizada na rua Samambaia, no residencial Rosa Linda, região do segundo distrito de Rio Branco.
Segundo informações da polícia, o adolescente e mais três comparsas ainda não identificados pularam o muro da residência e com um simulacro (arma de brinquedo) entraram na casa e renderam a filha do proprietário, colocando a “arma” na cabeça da vítima.

Ao perceber que havia bandidos em sua casa, o proprietário pegou sua arma de fogo e efetuou dois tiros contra o bandido que fazia sua filha refém. O criminoso foi atingido com um tiro no ombro e outro no pescoço e foi rendido. Os outros criminosos fugiram do local sem levar nada da residência.

Policiais Militares do 2° Batalhão estiveram no local e apreenderam o rapaz de 16 anos. Em seguida, acionaram a ambulância do suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Os paramédicos prestaram os primeiros atendimentos e encaminharam o criminoso ao Pronto-Socorro de Rio Branco em estado de saúde estável.

A guarnição policial fez patrulhamento na região em busca de prender os outros bandidos, porém não obtiveram êxito. De acordo com a Polícia, a intenção dos criminosos era roubar a caminhonete que estava na casa. A polícia informou ainda que o bandido ferido já é investigado por roubos de caminhonete. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Comentários

Continue lendo

Acre

Motorista atropela mulher e não presta socorro à vítima em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

A cidade de Cruzeiro do Sul, localizada no interior do Acre, registrou o quarto acidente trânsito em apenas um final de semana na noite desse domingo (23). Rônica Chaves de Matos, de  29 anos, foi  atropelada na Estrada Boca da Alemanha  e o  motorista fugiu do local sem prestar socorro à vítima.

A ação foi registrada por uma câmera de segurança. Nas imagens, é possível ver a mulher andando na lateral da estrada, quando o motorista, aparentemente, em alta velocidade, faz uma ultrapassagem e a  atropela na contramão, deixando Rônica caída no chão.

Pessoas que passavam pelo local chamaram o Serviço Móvel de Urgência, que levou a mulher para o Pronto-Socorro. No local, ela disse que vinha de um forró nas proximidades do acidente. Rônica ficou em observação, mas não corre risco de morte.

Este foi o quarto acidente de trânsito deste final de semana no Vale do Juruá, sendo três em Cruzeiro do Sul e um em Rodrigues Alves.  Na noite de sexta-feira, 21, uma mulher que pilotava uma motocicleta no Centro da cidade teve fratura exposta no pé ao ser atingida por um veículo.

Também na noite de sexta, um veículo que estava do lado de Rodrigues Alves à espera da balsa caiu dentro do Rio Juruá, mas antes atingiu um ciclista que foi empurrado para dentro d’água. O motorista conseguiu sair de dentro do carro, se evadiu do local e funcionários da balsa salvaram o ciclista das águas e também  impediram que o carro afundasse.

O veículo foi retirado do Rio Juruá por uma máquina da prefeitura de Rodrigues Alves,  pelo Corpo de Bombeiros de Cruzeiro do Sul e Polícia Militar.  O ciclista foi atendido na Unidade Mista de Rodrigues Alves, mas não teve ferimentos graves e o motivo do acidente não foi esclarecido.

No domingo, 23,  uma viatura da Rotam da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul atingiu um veículo e  em seguida capotou no Bairro São José. Ninguém ficou ferido.

O comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente coronel Edivan Rogério, conta que os PMs estavam indo dar apoio a outra equipe em uma ocorrência quando o acidente aconteceu. Os PMs só tiveram leves escoriações bem como o motorista do outro carro.

Comentários

Continue lendo

Acre

Acreano que contraiu fungo negro após Covid-19 consegue na justiça direito a TFD

Publicado

em

O autônomo José Natal da Costa Mendonça, de 55 anos que foi infeccionado por fungos enquanto se recuperava da Covid-19 no ano passado conseguiu junto ao Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) o direito ao Tratamento Fora do Domicílio (TFD) no último dia 19. Na decisão, é considerado que o autor precisa urgentemente do procedimento realizado fora do estado, conforme receitado por profissional médico.

O paciente alegou que após ter melhorado seu quadro de Covid-19 foi transferido para outra unidade de saúde pública, onde foi infeccionado por fungos, desenvolvendo a infecção conhecida como murcomicose, doença do fungo preto ou fungo negro. Além disso, o autor contou que teve trombose no seio cavernoso e por isso o médico o indicou para tratamento fora do estado. Contudo, seu pedido de TFD foi negado e o autor recorreu ao Judiciário.

Ao analisar o pedido emergencial, o desembargador-relator, Pedro Ranzi, considerou que o autor apresentou documentação comprovando a necessidade urgente do tratamento, sob pena de risco de vida. “(…) é possível denotar a fumaça do bom direito e o perigo da demora, requisitos indispensáveis à concessão da liminar, porquanto apresentada documentação confirmando a urgente necessidade de realização do procedimento médico postulado sob pena de risco à saúde do impetrante, podendo o seu quadro tornar-se cada vez mais gravoso, bem como a impossibilidade de realização do procedimento neste Estado”, registrou o magistrado.

O desembargador ressaltou que o Laudo Médico trazido aos autos pelo paciente embasa o pedido, uma vez que o infectologista recomenda o TFD. “Visto que a saúde é um direito fundamental que demanda prestações positivas do Estado, nota-se que, na presente demanda, o impetrante tem o diagnóstico de doença rara, mucomicose, doença infecciosa rara conhecida popularmente como doença do fungo preto ou fungo negro causada pelo fungo Rhizopus spp, necessitando de tratamento fora de domicílio, conforme as informações constantes no Laudo Médico”, escreveu Ranzi.

Comentários

Continue lendo

Em alta