Conecte-se conosco

Acre

Força tarefa de segurança pública desarticula organização criminosa que lavava dinheiro do tráfico de drogas e cumpre mandados em quatro estados

Publicado

em

A Força Tarefa de Segurança Pública do Acre, composta pela Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar, deflagrou nesta quarta-feira (01/12/2021) a operação HÉSTIA, com o objetivo de combater uma organização criminosa dedicada à lavagem de dinheiro oriunda do tráfico de drogas que atuava em quatro estados (AC, AM, RJ e RN).

A investigação teve início em janeiro deste ano e revelou um esquema profissional responsável pela administração de valores provenientes de fontes ilícitas, movimentado através de empresas “laranjas”, objetivando ocultar bens e valores, dissimular sua origem e reinserir os ativos no mercado com aparência de legalidade.

Para lavar o dinheiro proveniente das atividades criminosas, um núcleo – liderado por um empresário acreano do ramo de venda de extintores – se utilizava de sete empresas sediadas em Rio Branco/AC, Epitaciolândia/AC e Cruzeiro do Sul/AC, a fim de simular um funcionamento regular dos estabelecimentos para justificar os valores e bens obtidos com o lucro do tráfico interestadual de drogas.

O trabalho de inteligência desenvolvido pela Força Tarefa de Segurança Pública do Acre possibilitou a identificação do principal líder da organização criminosa. O mesmo encontra-se foragido desde 2017 quando estava cumprindo pena na penitenciária estadual do Acre, contudo, conseguiu uma fuga cinematográfica de um hospital em Rio Branco-AC, após fazer um buraco no forro do banheiro do apartamento que estava internado para um procedimento cirúrgico.

A ação contou com o apoio operacional de policiais federais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes/RJ e de policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) do estado do Rio de Janeiro.

Cumprindo os parâmetros de excepcionalidade previstos na ADPF 635/STF, a Polícia Federal e o BOPE diligenciaram até a Maré com o objetivo específico de cumprir dois mandados judiciais de prisão e dois de busca e apreensão expedidos pela Vara de Delitos de Organizações Criminosas de Rio Branco-AC, no entanto, ao chegar na entrada da comunidade, os policiais foram recebidos a tiros por traficantes.

Durante a ação os policiais apreenderam um fuzil, diversos carregadores de fuzil, uma pistola, munições, granada, drogas e rádios comunicadores.

O líder da organização criminosa ostentava uma vida de luxo ao redor de sua família na comunidade da Maré. O criminoso – apontado pelas forças de segurança pública do Acre como o mais procurado do estado – construiu um imóvel de luxo dentro da comunidade que contava com piscina e banheira de hidromassagem. Ele ainda tem a proteção de traficantes locais.

Os investigados movimentaram mais de 43 milhões de reais em suas contas bancárias durante o período apurado, grande parte através de transações em espécie – inclusive para o exterior – bem como investimentos em gado e imóveis. Ao todo, foram bloqueados judicialmente mais de R$ 19 milhões em bens da organização criminosa.

A operação conta com a participação de 150 policiais que cumprem 37 mandados de busca e apreensão domiciliar e 10 mandados de prisão preventiva em quatro estados, nas cidades de Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC, Epitaciolândia/AC, Rio de Janeiro/RJ, Natal/RN e Boca do Acre/AM. As buscas contaram com o apoio de um helicóptero da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Acre.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de integrar organização criminosa, lavagem de dinheiro e tráfico interestadual de drogas, cujas penas somadas podem chegar a 33 anos de prisão.

O nome da operação, HÉSTIA, faz alusão à mitologia grega e representa a Deusa do Fogo, para se contrapor à principal atividade econômica exercida de maneira dissimulada pelos investigados, isto é, o comércio de extintores de incêndio. O fogo de Héstia simboliza também a vida, a cidade, a proteção e o sacrifício.

Comentários

Acre

Aos 69 anos, Vanda Milani se junta à juventude e esbanja vigor na disputa pelo Senado

Publicado

em

A candidata do Senado Federal pelo PROS, Dra. Vanda Milani, esbanjou emoção e felicidade ao conceder entrevista na tarde desta sexta-feira, 30, ao Bar do Vaz, no ac24horas. Aos 69 anos, não tem deixado o espírito jovem de lado e tem demonstrado garra e vigor ao se juntar à juventude pela sua campanha ao Senado no estado do Acre.

Ela afirma sentir-se honrada pelo fato de muitos amigos a terem convidado para aceitar mais esse desafio político. “Sou mulher que não sei ficar parada. Se eu não fosse candidata, estaria balançando a bandeira de alguém”. O trabalho que deixou executado na Câmara Federal lhe rendeu mais frutos do que imaginava, profissionalmente.

“Na política, a gente consegue fazer muito mais pela nossa gente. Tenho a obrigação de devolver para o meu estado de coração tudo aquilo que ele me deu, e a gente devolve trabalhando”, contou ao jornalista Roberto Vaz.

Milani diz querer continuar sua trajetória no Senado. “Como deputada, sei que consegui fazer muita coisa, mas não tenho dúvida de que como senadora vou conseguir fazer muito mais. Um senador tem que ter garra, vontade para bater na porta do presidente, dos ministérios para pedir ajuda ao Acre”.

A candidata relembra que na Câmara Federal trouxe muita ajuda aos prefeitos dos municípios acreanos, seja para abertura de ramais, melhora da produção agrícola, saúde e até envio de água para o interior. “Já visitei todos os municípios fazendo levantamento do que a população está precisando. Minhas emendas são feitas de acordo com a necessidade do que a população precisa”, garante.

Milani empenhou cerca de R$ 20 milhões para a construção da orla do bairro 15, em Rio Branco, que já está contratada há mais de 3 meses e deverá seguir adiante a partir do próximo ano. “Procurei dar o meu melhor como deputada. Isso é resultado de um trabalho que comecei lá atrás como professora do Mobral, assim que cheguei ao Acre. Ensinei pessoas a ler e escrever. “Depois fui professora do Ginásio, advogada, promotora do estado. Recebi até o apelido de ‘A dama de Ferro”.

Hoje, participa de todas as carreatas e caminhadas, subindo e descendo de caminhões e falando para cerca de 1,5 mil pessoas diariamente. “As reclamações que mais recebo são sobre falta de ramal, falta de cirurgias, de medicamentos nos postos de saúde e de médicos. Portanto, a prioridade, caso eleita senadora, será com relação à Saúde”.

Sua proposta é construir um pronto-socorro de urgência e emergência para as crianças e um hospital regional em Feijó, além de trazer recursos para a reconstrução da BR-364. “Uma bancada unida é fundamental. E precisamos de escolas técnicas no estado para o jovem sair com um diploma profissional. Queremos também aumentar o número de colégios militares no Acre, construir o maior deles na região da Sobral. Acredito na democracia e no povo”, concluiu.

Veja a entrevista:

Comentários

Continue lendo

Acre

IPEC no Senado: Alan Rick lidera com 36% e Ney tem 28%

Publicado

em

Foi divulgado a última pesquisa do Instituto IPEC na noite desta sexta-feira, 30, pela Rede Amazônica, onde mostrou que a intenção de votos para a única vaga ao Senado da República segue com o candidato e deputado federal Alan Rick (UB) liderando com 36%, seguido pelo ex-deputado estadual Ney Amorim (Podemos) que obteve 28%.

Na sequência como nas demais pesquisas, aparece a candidata Márcia Bittar (PL) com 11%, seguida pelo deputado estadual Jenilson Leite (PSB) e Vanda Milani (PROS) marcaram 8% e Nazaré Araújo (PT) 7%. O candidato Dimas Sandas do AGIR somou 1%. Sanderson Moura do PSOL não pontuou.

O Instituto ouviu 800 pessoas entre 29 a 30 de setembro. A margem de erro do levantamento é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número AC – 04487/2022. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Comentários

Continue lendo

Acre

Coligação de Gladson lamenta morte de jovem que caiu de camionete em carreata

Publicado

em

NOTA DE SOLIDARIEDADE

Diante do lamentável acontecimento envolvendo a jovem Kevysla Costa Fernandes, a Coligação Avançar para Fazer Mais vem a público expressar sua consternação com o ocorrido e solidariedade com toda a família e amigos.

Kevysla era atuante na organização da campanha e sua ausência é sentida por todos nós. Em respeito ao luto, todas as atividades de campanha foram suspensas e foram tomadas as medidas necessárias para oferecer suporte para a família.

*Coligação Avançar Para Fazer Mais*

Comentários

Continue lendo

Em alta