O governador Gladson Cameli assinou na noite desta quinta-feira, 22, no Palácio Rio Branco, o decreto de emergência ambiental por causa das queimadas. A decisão do governo foi tomada após reunião com membros da Secretaria do Meio Ambiente e Corpo de Bombeiros que divulgaram um relatório informando que desde o início do ano o Acre está no 8° lugar do ranking com 2.533 focos de queimadas, ou 4,7% do total de mais de 53 mil focos registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais na Amazônia.

O decreto de emergência deve ser publicado na edição desta sexta-feira, 23, do Diário Oficial do Estado.

Cameli informou que com o decreto de governamental, o presidente Jair Bolsonaro deve vir ao Acre nos próximos dias. “Ele vai vir aqui. Nós decretamos aqui e fomos informado que ele vai decretar em nível nacional”, disse o governador informando que o presidente convocou os governadores da região norte para uma reunião na próxima terça-feira, 27, em Brasília.

As cidades de Feijó, Tarauacá e Sena Madureira lideram o número de focos de queimadas. Enquanto a terra do Açaí registrou de 1 de janeiro até o dia 21 de agosto, 517 focos, a Terra do Abacaxi registrou 394. Sena marcou 270 focos. Rio Branco aparece na quinta colocação com 215 focos e Cruzeiro do Sul em sétimo com 117 registros.

Na semana passada, o governo decretou o Estado de Alerta Ambiental. Com o passar dos dias, o Corpo de Bombeiros vinha relatando dificuldades para atender a todos as chamadas de incêndio. A fumaça ocasionada pelas queimadas mudou drasticamente o cenário verde das cidades acreanas. Milhares de acreanos que usam as redes sociais reclamam da qualidade do ar.

Comentários