Equipe econômica espera a abertura do orçamento estadual de 2019 para detalhar a forma do pagamento

Governador Gladson Cameli – Foto: Alexandre Lima

O calote milionário dado pelo ex-governador Tião Viana (PT) nos aposentados e pensionistas do estado, ao final de 2018, virou um abacaxi nas mãos do sucessor Gladson Cameli (Progressistas). A dívida, de aproximadamente R$ 54 milhões só com o 13º salário de mais de 40 mil servidores inativos, extrapola, em relação à receita deste mês, as despesas obrigatórias. A saída, segundo informação da secretária de Comunicação, Silvânia Pinheiro, deverá passar pelo parcelamento do abono.

Com o orçamento ‘fechado’ até o próximo dia 20, o governo ainda não arrisca dizer em quantas parcelas pretende quitar o benefício.

“Só teremos essa informação quando o orçamento estadual estiver disponível”, disse Silvânia à reportagem do portal.

A despeito da previsão desalentadora de que a dívida terá de ser parcelada, resta aos aposentados e pensionistas o consolo de que o novo governo tem dado garantias de que honrará a dívida deixada pelo antecessor.

Comentários