Governo decreta situação de emergência social por causa de imigração ilegal na fronteira

Cenas do cotidiano na cidade de Brasiléia. Centenas de imigrantes atrás de tirar documentos nas instituições do Brasil – Foto: Alexandre Lima O governador Sebastião Viana (PT) decretou situação de emergência social nos municípios de Brasileia e Epitaciolândia, afetados por intenso processo de imigração. O...

0
Cenas do cotidiano na cidade de Brasiléia. Centenas de imigrantes atrás de tirar documentos nas instituições do Brasil - Foto: Alexandre Lima
Cenas do cotidiano na cidade de Brasiléia. Centenas de imigrantes atrás de tirar documentos nas instituições do Brasil – Foto: Alexandre Lima

O governador Sebastião Viana (PT) decretou situação de emergência social nos municípios de Brasileia e Epitaciolândia, afetados por intenso processo de imigração. O decreto nº 6.502 foi assinado nesta segunda-feira, 14, e publicado no Diário Oficial desta terça-feira, 15.

Segundo o ato, informações da Coordenadoria Estadual de      Defesa Civil – CEDEC, acerca da continuidade do fluxo migratório na fronteira (Brasil, Peru e Bolívia), continua intenso, pois até o dia 1° de outubro do ano corrente, o estado recebeu 7.523 imigrantes de diversas nacionalidades.

Com a medida, o governo quer minimizar as  sérias dificuldades enfrentadas, principalmente no que se refere ao apoio humanitário e logístico (recepção, acolhimento e desligamento). No decreto, o governador ressalta os sérios riscos à saúde, dos imigrantes e dos nacionais, a exemplo de doenças como dengue, malária, dentre outras.

Agora, devem ficar  em alerta máximo a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social – SEDS e a Secretaria de Estado de Segurança Pública, através da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, que deverão priorizar ações emergenciais humanitárias nos municípios afetados. Todos os demais órgãos e secretarias também serão envolvidos nas ações.

Entre as medidas, será realizada uma campanha educativa de orientação, junto à comunidade, com o objetivo de facilitar as ações de assistência à população afetada. Já a Secretaria de Saúde dotará as medidas necessárias para minimizar os riscos decorrentes da situação de anormalidade.

O decreto entra em vigor a partir de hoje e ficará em vigor por 90 dias.

Fonte: ac24horas

Comentários

Assuntos desta notícia