Unidade de saúde do estado está sem médico e população - Foto: ContilNet
Unidade de saúde do estado está sem médico e população – Foto: ContilNet/Arquivo

 Sindmed e CRM/Ac poderão entrar com ações contra Estado por negligência à população

Alexandre Lima

As promessas de abandono pelo governo do Acre direcionadas aos municípios que compõem a regional do Alto Acre, se pode dizer que estão sendo colocadas em prática nos últimos meses. E isto está a olhos vistos em vários setores que poderiam estar ajudando centenas de milhares de moradores com desenvolvimento e saúde.

O abandono das prefeituras que não fazem parte da sigla partidária ou foram perdidas nas últimas eleições, estão sendo aos poucos, abandonadas com serviços básicos. Ao contrário das administrações anteriores e faziam até mesmo o que não era de sua competência.

Moradores de Assis Brasil tem que se deslocar por 110km em busca de médicos - Foto: Alexandre Lima/Arquivo
Moradores de Assis Brasil tem que se deslocar por 110km em busca de médicos – Foto: Alexandre Lima/Arquivo

A exemplo, a cidade de Assis Brasil, localizada no extremo norte do Acre, na fronteira com o Peru e Bolívia, está sendo desassistida por médicos no posto de saúde, deixando a população sem profissionais que deveriam atender em plantões contínuos.

A cerca de um mês, médicos da cidade vizinha de Brasiléia, distante a 110 quilômetros, estão sendo escalados para dar plantões naquela cidade. Mas, seria insuficientes aja visto que ficam por no máximo dois dias e o restante da semana, sem um profissional.

Essa ausência de médicos na cidade, vem causando transtornos à população que está reclamando do abandono por parte do Estado. Em menos de uma semana, dois casos foram veio à tona, quando uma mulher em trabalho de parto teve que ser transferida às pressas para Brasileia com o único enfermeiro lhe acompanhando na ambulância.

Neste sábado pela manhã, um casal teve fretar um taxi para pudessem trazer a mulher que havia sofrido um acidente automobilístico na cidade. Sem um profissional na unidade de saúde, lhe foi negado a liberação da ambulância. Fato esse que causou revolta e indignação de moradores.

Em visita à fronteira, o presidente do Sindicato dos Médicos do Acre – SINDIMED, senhor Ribamar Costa, comentou que o descaso por parte do governo, poderá acarretar em mais uma denuncia ao Ministério Público, aja visto que não se pode fechar os olhos diante da atual situação.

Matérias relacionadas:

Comentários