Pianko já havia sido nomeado no mês de junho para a Seplam, com salário de R$ 6.720,00.

Pianko é acusado de abusar de crianças indígenas/Foto: Secom
Pianko é acusado de abusar de crianças indígenas/Foto: Secom

Da Agência ContilNet

O Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (4) trouxe a nomeação do ex-secretário dos Povos Indígenas, Francisco Pianko, acusado de abusar sexualmente de crianças indígenas em aldeias do Acre, para o cargo de diretor-executivo da Secretaria de Planejamento do Estado (Seplan), com salário de R$ 13 mil.

Pianko já havia sido nomeado no mês de junho para a Seplam, com salário de R$ 6.720,00. Nesta nova nomeação, o ashaninka teve seu salário dobrado para assumir um cargo na direção da secretaria.

Em 2009, Pianko foi denunciado por abuso de crianças e adolescente indígenas. O caso ganhou as páginas dos jornais. Uma CPI chegou a ser aberta na Assembleia Legislativa do Acre para apurar as denúncias contra o líder indígena, mas não se chegou à conclusão dos trabalhos.

Pianko estava nomeado em um cargo na Fundação Nacional do Índio (Funai) até ser novamente nomeado pelo governo do Estado.

Comentários