“O imigrante chegando ao Acre vai receber uma cartinha em Assis Brasil e ele deve dirigir à Sejudh onde será orientado”, disse secretário

Governo entregará chácara ao proprietário no fim deste mês
Governo entregará chácara ao proprietário no fim deste mês

Desde que foram ampliados os serviços de emissão de vistos pelas embaixadas de Porto Príncipe , no Haiti, Quito, (Equador) e Lima no Peru, em setembro do ano passado, o Acre deixou de ser a principal rota de passagem de imigrantes para o Brasil e deve fechar as portas do abrigo nos próximos dias.

Diante deste cenário, o governo do Acre decidiu fechar o abrigo que funcionar na Chácara Aliança, na estrada do bairro Apolônio Sales, em Rio Branco. O abrigo chegou a receber até 100 imigrantes diariamente. Hoje, apenas três imigrantes de origem haitiana permanecem no local.

O contrato vai até dia 30 deste mês, porém, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) resolveu fechar as portas devido a redução expressiva de imigrantes.

A chácara será entregue ao proprietário após a retiradas dos equipamentos do governo e a secretaria alerta que, caso surja novos imigrantes, será feito apenas o trabalho de orientação. As ajudas oferecidas pelo governo como abrigo, comida e transporte não serão mais fornecidas, conta o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão.

“O contrato vai até o dia 30 deste mês, período de transição de entrega do imóvel para o dono, mas o abrigo está fechado e não tem mais imigrantes. Nossa atividade de imigração vai continuar, mas vamos funcionar apenas como centro de refência de orientação aos imigrantes. Serão orientados de local de comer, hospedagem mais barata e como tirar documentação. O imigrante chegando vai receber uma cartinha em Assis Brasil e ele se dirige à Sejudh onde será orientado”, disse Mourão.

Comentários