Conecte-se conosco

Flash

Governo pede apoio à destinação de emendas para o Acre e recebe garantias de parlamentar

Publicado

em

A solicitação foi feita pelo representante do governo em Brasília, Ricardo França, que está entregando as propostas prioritárias do Estado a todos parlamentares federais acreanos

O representante do governo do Acre em Brasília, Ricardo França, solicitou, nesta quarta-feira, 20, o apoio do deputado federal Alan Rick para a destinação de recursos para o Estado via emendas parlamentares ao Orçamento Geral da União de 2022 e recebeu a garantia de total colaboração.

Para o Orçamento de 2022 cada deputado e senador conta com mais de R$17,6 milhões para emendas individuais e acima de R$ 212 milhões para emendas de bancada. Foto: Dilma Tavares

França entregou ao deputado um documento com as 80 propostas definidas pelo governo como prioritárias para a destinação de recursos via emendas, material que está sendo entregue para todos os deputados e senadores do Acre.

“Peço que analise as propostas com muito carinho e contemple nosso estado com a destinação de recursos para que o governo possa colocar as iniciativas em prática e levar os benefícios para a população”, pediu Ricardo França. Ele lembrou tratar-se de “um trabalho de parceria em favor do Acre” e que “o governador Gladson Cameli faz questão de reconhecer o apoio recebido de cada parlamentar”.

Alan Rick garantiu apoio aos pleitos do governo afirmando ser “parceiro do Estado e do governador” nas iniciativas em benefício da população acreana e que irá se empenhar para apresentar o máximo de emendas para o Estado. Essas definições, afirmou ele, estão sendo facilitadas pelo próprio governo, com a apresentação do documento reunindo as propostas consideradas prioritárias”.

“Nós andamos o estado inteiro, sabemos as demandas, a comunidade nos apresenta, os prefeitos, mas o governo sabe muito bem onde o calo aperta, as demandas mais urgentes, mais importantes, aquelas que precisam ser olhadas com muito carinho e com o tempo necessário para que os recursos sejam alocados e as iniciativas sejam executadas”, lembrou o deputado.

Agenda

Ricardo França está entregando o documento com as propostas do governo para todos os deputados e senadores do Acre, conforme a disponibilidade de agenda dos parlamentares. O material já foi entregue para a deputada Vanda Milani, para o senador Sérgio Petecão e para os deputados Leo de Brito e Alan Rick. Nesta sexta-feira a entrega será feita para as deputadas Perpétua Almeida e Mara Rocha.

As propostas

França entregou ao deputado um documento com as 80 propostas definidas pelo governo como prioritárias para a destinação de recursos via emendas. Foto: Dilma Tavares

As 80 propostas prioritárias do governo acreano foram elaboradas pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) com base nas demandas dos órgãos do governo e nos eixos estratégicos do Plano Plurianual (PPA) do Estado fixado para o período de 2020 a 2023. As iniciativas somam R$ 336,5 milhões, sendo R$ 126,4 milhões para emendas individuais e R$ 210 milhões para emendas de bancada.

Para o Orçamento de 2022 cada deputado e senador conta com mais de R$17,6 milhões para emendas individuais e acima de R$ 212 milhões para emendas de bancada. “As propostas do governo visam subsidiar os parlamentares para a tomada de decisão sobre a destinação desses recursos”, esclarece Ricardo França.

Comentários

Flash

Sargento Nery se apresentará à polícia nesta segunda-feira, segundo a sua defesa

Publicado

em

Sargento da Polícia Militar do Acre, Erisson de Melo Nery, se apresentará nesta segunda com advogado – Foto: arquivo pessoal.

Por Raimari Cardoso

O sargento da Polícia Militar do Acre, Erisson Nery, que no início da madrugada deste domingo (28), por volta das 00h26, atirou no estudante de medicina Flávio Endres de Jesus Ferreira, de 30 anos, vai ser apresentado na Delegacia de Polícia de Epitaciolândia na manhã desta segunda-feira (29) às 10 horas, segundo informou ao ac24horas o advogado Leandrius Muniz, patrono do militar.

De acordo com o advogado, o sargento Nery não está foragido, mas apenas aguardando o momento para se apresentar às autoridades policiais por questão de segurança e proteção à integridade física dele. Muniz também afirmou que o militar vai apresentar a sua versão para os fatos que se contrapõe ao que foi divulgado pela imprensa.

“Ainda vou ter uma conversa com o meu cliente, pois eu não sei onde ele está, e vamos demonstrar que o que foi noticiado pela imprensa não está em conformidade com a realidade. Ele apenas defendeu a sua família. Meu cliente não tem nada a esconder, nada a se escusar, simplesmente por questão de segurança ele vai continuar onde está até amanhã”, afirmou.

Horas antes, o sargento Nery havia falado com o G1 Acre. Ele afirmou que reagiu à uma importunação sexual feita pelo estudante de medicina contra sua mulher. O militar também disse que a esposa, Alda Radine, foi tocada e depois esmurrada pelo rapaz, que a deixou apagada com um corte na boca.

“O cara molestou minha esposa e ela foi tomar satisfação imediatamente. Mas, ele deu um murro na cara da Alda que ela caiu apagada e com a boca cortada. Aí quando eu a vi daquele jeito, fui atrás do cara. Lá fora entramos em luta corporal e eu atirei nele. Foram dois disparos, todos pegaram nele. Ele está estável e foi transferido para Rio Branco”, disse.

Também ao G1, a delegada de Brasiléia, Carla Ívane, que responde pela delegacia de Epitaciolândia em razão de o titular, Luis Tonini estar de férias, informou que um inquérito foi instaurado e que os procedimentos estão sendo tomados.

“Tem vídeos e áudios circulando, estamos aguardando o resultado do exame do corpo de delito e foi instaurado um inquérito policial. O sargento Nery não se apresentou e nem foi localizado pela PM. Houve um boletim informativo e seguimos com os prosseguimentos de ouvir testemunhas e abrimos o inquérito para apurar o que de fato aconteceu”, disse.

A vítima dos tiros foi transferida para o pronto-socorro de Rio Branco ainda na madrugada deste domingo. Ele foi atingido por dois tiros na região do tórax e do abdômen. Segundo familiares, o quadro do paciente era estável após passar por cirurgia e que já poderia ser levado para a enfermaria.

O Comando da Polícia Militar do Acre informou, por meio de nota, que está apurando disciplinarmente os fatos e que tomará as medidas necessárias ao caso, mas esclarecendo que a apuração criminal caberá à Polícia Civil.

Comentários

Continue lendo

Flash

URGENTE: Escola Estadual de Brasileia suspende aulas após aluno contrair covid-19

Publicado

em

Imagem ilustrativa

A direcao da escola Estadual Instituto Odilon Pratagi, localizada na cidade de Brasileia, resolveu após analisar um caso isolado de infecção por covid-19,  suspender as aulas presenciais por uma semana.

O caso vinha sendo analisado desde o início da semana, quando o aluno testou positivo após realizar exames em uma clínica particular da cidade.

Foi comprovado que a infecção ocorreu fora da escola, sendo comunicado pelos familiares após o resultado confirmar positivo.

Foi informado que todas as medidas de prevenção junto aos colegas de classe foram tomadas, sendo acompanhados e não houve nenhuma notícia de contaminação até o momento.

Afirmam que todos os funcionários e alunos estão obedecendo os protocolos, como aferição no momento em que chegam nas escolas, uso de máscaras e álcool em gel nas aulas, além da divisão das turmas em horários matutino e vespertino.

Mesmo assim, como forma de garantir a saúde e prevenção, a Coordenação Estadual juntamente com a diretoria da escola I.O.P., optaram em suspender as aulas por uma semana, a partir desta segunda-feira, dia 29, para seguir os protocolos e monitoramento.

As aulas deverão continuar de forma remota, por meio da Internet e redes sociais.

Veja a nota.

Comentários

Continue lendo

Flash

Governo amplia de 8 para 12 mil servidores que receberão abono de R$ 160 milhões do Fundeb

Publicado

em

Por

Secretária de Educação Socorro Neri afirmou que professores receberão R$ 11 mil em nova proposta de lei que será enviada a Assembleia Legislativa

Por Leônidas Badaró

A Secretária de Educação do Acre, Socorro Neri, esteve no Boa Conversa, transmitido pelo ac24horas, na noite desta sexta-feira, 26, e explicou as mudanças em relação ao pagamento do abono aos profissionais da educação oriundos da sobre do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Socorro admitiu que a priori, o entendimento do governo era de que o valor de cerca de R$ de 160 milhões seria pago apenas para os professores que estão em efetivo exercício na rede de educação pagando em média cerca de R$ 16,6 mil  para cada profissional.

“Nós nos baseamos no artigo 61 da LDB. Ocorre que no dia do lançamento, as outras categorias se mobilizaram, falaram com o governador que tem o coração grande e procura ser justo e ele recomendou que a PGE fizesse um novo estudo, definindo quem teria o direito de receber”, afirma Neri.

A gestora da educação afirmou que o novo Projeto de Lei já se encontra praticamente pronto e deve ser encaminhado até a próxima quarta-feira para a análise dos deputados estaduais. O universo de profissionais da educação que vão ter direito a receber o abono passa de pouco de 8 mil para mais de 12 mil servidores, o que vai diminuir o valor que os professores devem receber. “É claro que a medida que outros profissionais entram, a divisão é diferente”, afirma a secretária.

A proposta do governo vai englobar três grupos que terão direito ao abono. A primeira, que é a dos professores que estão em atividade, o valor cai de 16 para pouco mais de R$ 11 mil.

Socorro Neri garantiu que os valores e quais os profissionais que estarão nos outros dois grupos vão ser definidos nas próximas horas e deve ser anunciado pelo governador Gladson Cameli nos próximos dias.

Sobre quem vai ficar de fora, que era o temor dos servidores considerados de apoio, Neri afirmou que o universo de quem não será beneficiado é menor que 2 mil profissionais. “Ocorre que a Lei determina que para receber, os servidores considerados de apoio administrativo ou operacional, com vigias e merendeiras, por exemplo, precisam ter curso técnico ou superior na área pedagógica”, destaca Socorro.

Assista a entrevista:

Comentários

Continue lendo

Em alta