Atual hospital, inagurado às pressas e incompleto pelo ex-governador Sebastião Viana, vinha operando sem CNPJ o que dificultava em algumas questões. – Foto: Alexandre Lima

Um Decreto assinado pelo atual governador do Acre, Gladson Cameli, faz com que com o antigo Hospital de Clinicas Raimundo Chaar, volta a funcionar a pleno vapor na fronteira do Acre. O atual, batizado pelo ex-governador Sebastião Viana, onde homenageia seu falecido pai, Wildy Viana, deixará de existir.

Em tempo, desde sua desastrosa inauguração que foi dividida em partes, mal funcionando e ainda faltando alas a serem entregues, sempre gerou discursão sobre o nome e a falta de responsabilidade jurídica, começando pela falta de um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica –CNPJ, que vinha impossibilitando o registro no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde – SCNES, que impedia o processamento das produções ambulatoriais e hospitalares no Sistema de Informação Hospital – SIH, ligados ao Sistema Único de Saúde – SUS.

Com a falta desses registros, alguns que vinham sendo exigidos e indicados pela Assembleia Legislativa do Acre – ALEAC, como também da hemodiálise, fazendo com que os municípios que circundam o hospital, disponibilizem veículos para transladar pacientes à Capital, onerando os cofres públicos e serviços de terapia intensiva.

O antigo hospital Raimundo Chaar, que ainda tem o CNPJ ativo, vinha funcionando paralelamente com; administração, segurança, lavanderia, SAMU e cozinha, causando despesas extras aos cofres públicos, além de outros serviços.

Em conversa com a Porta Voz do Governo do Acre, Mirla Miranda, disse que houve um clamor popular para que se mantivesse o antigo nome do hospital e assim foi acatado pelo governador Gladson Cameli. O Decreto nº 3.689 de 12 de agosto de 2019, anula o Decreto nº 12.423 de 5 de novembro de 2018, assinado pelo ex-governador Sebastião Viana.

Comentários