Policiais militares isolaram o local até a chegada dos peritos.
Alexandre Lima

Era por volta das 1h00 deste domingo, quando homens da Polícia Militar do 10º Batalhão do Alto Acre, foram acionados via Ciosp (190), para verificarem um corpo de estaria no chão e tinha sinal de sangue.

Ao chegarem no local, perceberam que o mesmo estava desacordado e havia um corte no couro cabeludo, provavelmente motivado por um pedaço de madeira. Os socorristas do Corpo de Bombeiros do 5º Batalhão foram acionados até o local, para verificar se havia sinais vitais.

Após verificarem, perceberam que o homem já estava em óbito e parecia que havia falecido a pouco tempo. Como apresentava sinais de agressão, seria necessário a presença de peritos criminais, que iam ser solicitados na Capital.

Vítima não identificada no local por não portar documentos.

Informações obtidas no local, algumas pessoas comentavam que tinham visto o homem num lanche das proximidades e saiu caminhando pela Rua João Jovino, que dá acesso ao Sesc, no bairro Eldorado.

Inicialmente, não foi possível identificar o homem por não estar portando documentos pessoais. Somente pela parte da manhã e com ajuda de terceiros, foi encontrado familiares. A vítima seria Cícero Carneiro da Silva, de 45 anos.

As investigações estão abertas para descobrir se Cícero foi vítima de latrocínio (morte seguido de roubo), ou apenas se envolveu em uma briga e levou a pior. A pancada que levou na cabeça lhe causou um forte trauma craniano, o levando a morte.

O corpo foi resgatado pela manhã com a chegada dos peritos e levado ao IML na Capital para exames cadavérico, e retornaria à Brasiléia no período da tarde para ser liberado aos parentes.

Socorristas dos Bombeiros foram até o local e constataram o óbito para que pudessem chamar os peritos.

Comentários