Genival disse que matou para defender sua irmã - Foto: Alexandre Lima
Genival disse que matou para defender sua irmã – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima

Um crime ocorrido no município de Tapuã do Oeste, interior de Rondônia a sete anos atrás, teve seu desfejo na noite desta quarta-feira, dia 27, quando uma operação envolvendo policiais civis de Brasiléia e homens do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva – GIRO, prenderam o principal acusado que estava foragido desde então.

A prisão do acusado, Genival da Silva Araújo (36), aconteceu no ramal localizado no km 59 da BR 317 (Estrada do Pacífico), onde os policiais tiveram que adentrar mais 14 quilômetros de carro e quase uma hora a pé dentro da selva.

Chegada de GEnival na delegacia de Brasiléia na noite desta quarta-feira, dia 27 - Foto: Alexandre Lima
Chegada de GEnival na delegacia de Brasiléia na noite desta quarta-feira, dia 27 – Foto: Alexandre Lima

Pensando que iriam ter que realizar uma ação surpresa cercando a casa que tinha apenas uma parede e o teto, lá encontraram Genival escutando música com uma caixa acústica em alto volume. Ao ser surpreendido pelos policiais e lhe apresentaram o mandado de busca e prisão, o mesmo não reagiu e se entregou.

Para entender o caso, Genival é o principal acusado de ter assassinado Ivan Martins da Costa a sete anos atrás, depois que a vítima teria agredido sua irmã durante uma festa na cidade de Tapuã do Oeste, interior de Rondônia. Os dois entraram em luta corporal e num momento de distração, o causado se apossou de uma arma branca (faca) e desferiu vários golpes contra a vítima.

Genival então fugiu para o Acre, veio para o município de Brasiléia e passou a morar na zona rural. Nestes anos, o mesmo tentou tirar uma nova carteira de identidade usando o mesmo nome, mas com naturalidade acreana e o sistema alertou sobre o caso.

Foi quando os agentes investigaram e constaram que o homicida era procurado pelo crime cometido no Estado vizinho e era procurado pela Justiça para pagar pelo homicídio por ele cometido.

Genival seria ouvido e enviado para o presídio estadual onde aguardará pronunciamento da Justiça e possivelmente será transferido para Rondônia, onde cometeu o crime e julgado.

Comentários