Hospital de Brasiléia Wildy Viana está com aparelho de raio-x quebrado – Foto: Alexandre Lima/arquivo

A situação dos hospitais de Brasiléia e Xapuri, localizados na regional do Alto Acre, estão sendo denunciados por moradores que estão procurando as unidades. Um simples caso de acidente, onde uma criança que engoliu uma moeda, não foi possível realizar o procedimento de bater uma chapa para saber onde estava o metal.

Segundo foi avisado no hospital, o equipamento que foi aproveitado do antigo Raimundo Chaar. Foi levantado que foi utilizado peças de duas máquinas diferentes, o que limitou o uso em alguns casos, dependendo da situação. A sobre carga de serviço novamente danificou o aparelho que está parado a quase duas semanas.

Outro velho problema voltou à tona. Devido a pane, os moradores que procuram o hospital, estão tendo de ir para o lado boliviano para poder realizar o exame sendo necessário a utilização do raio-x, pagando em clínicas particulares.

Foi levantado ainda, que o problema não seria apenas na cidade de Brasiléia. A vizinha Xapuri, distante cerca de 75km, também está com o aparelho quebrado, nesse caso, não existe uma cidade vizinha para que possa dar socorro.

Hospital de Xapuri também está sem aparelho de raio-x, segundo denuncias. Foto: Alexandre Lima/arquivo

A denuncia feita por um morador, conta que além do raio-x, o veículo do Samu está quebrado ou raramente disponível e a constante ausência dos médicos plantonistas na unidade hospitalar.

Voltando para Brasiléia, foi informado que o aparelho pode ser consertado ainda nesta semana, mas, pode demorar ainda mais sem data de conserto, uma vez que a peça quebrada, tem que ser enviada para fora do Estado para ser consertada.

“Sabemos que esse equipamento não barato, mas, se o Governo continuar com os mesmos remendos que eram feitos anteriormente, vão continuar jogando dinheiro do contribuinte fora e se juntar o que já foi gasto, já poderiam ter comprado um novo”, contou um funcionário que pediu para não ser identificado.

Qualquer tipo de ocorrência que seja necessário a utilização do aparelho, deverá ser feita pagando no lado boliviano, ou torcer para que tenha uma ambulância disponível e ser levado para a Capital.

Moradores de Xapuri usaram a rede para denunciar os problemas no hospital de Xapuri – Foto/captura.

Comentários