Edmilson Ferreira

O economista Orlando Sabino, do Fórum de Desenvolvimento do Acre, fez as contas usando os dados do IBGE e concluiu que no segundo trimestre de 2019, o percentual da população ocupada do Acre trabalhando por conta própria alcançou 33,8% com 104 mil pessoas.

As unidades da federação com os maiores percentuais foram Pará (35,6%), Amapá (35,1%) e Amazonas (34,3%) e os menores estavam no Distrito Federal (19,6%), Mato Grosso do Sul (20,9%) e São Paulo (21,7%). Os detalhes estão na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) Continua Trimestral.

Os dados da PNAD coincidem com os das plataformas de aberturas de novas empresas: o crescimento das inscrições no cadastro de microempreendedor individual (MEI) e no Simples Nacional cresceram muito no Acre este ano. Fatores como a crise econômica levam centenas a trabalhar por conta própria.

Há quem diga que a saída em massa de ocupantes de cargos comissionados no Governo do Estado e na Prefeitura de Rio Branco estejam influenciando esses indicadores, já que boa parte foi trabalhar por conta.

Comentários