O Produto Interno Bruto dos Municípios 2012, divulgado nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que Índice de Gini para o PIB em 2012 ficou em 0,86.

O Gini, que mede o grau de concentração de uma distribuição (qualquer que seja) e varia de zero a um, sendo zero a condição de igualdade absoluta e, um, a desigualdade máxima, possui um dos mais baixos resultados no Acre.

Rondônia, Acre, Mato Grosso, Tocantins e Mato Grosso do Sul apresentaram os menores índices de Gini do país, todos entre 0,60 e 0,70.

No caso do PIB dos Municípios, o Gini mede grau de desigualdade existente na distribuição, segundo o valor adicionado bruto de cada um deles.

A pesquisa mostra, ainda, que o maior Gini em 2012 ficou com o valor bruto adicionado da indústria, com 0,90, seguido pelos 0,86 dos serviços e 0,61 da agropecuária. O IBGE frisou que esses coeficientes para o Gini se mantêm praticamente inalterados desde 2004.

De acordo com o IBGE, somente os Estados do Amazonas e de São Paulo apresentaram Índice de Gini superior à média nacional, com 0,87 cada.


As informações são da ContilNet

Comentários