MP-AC instaurou inquérito na quinta (6). Prefeito de Senador Guiomard diz que homem não é seu genro e que era funcionário de empresa terceirizada que prestava serviço para prefeitura.

Por Iryá Rodrigues

O Ministério Público do Acre instaurou um inquérito civil para investigar suposto uso de carro oficial pelo genro do prefeito de Senador Guiomard, Jucimar de Souza, conhecido como Gilson da Funerária, para finalidades particulares.

__________

O procedimento foi publicado na edição de quinta-feira (6), do Diário Oficial do Órgão.

__________

A reportagem, o prefeito afirmou que o homem não é seu genro e que ele apenas namorou com sua filha no ano de 2015. Segundo ele, o homem era funcionário de uma empresa terceirizada que prestava serviço para a prefeitura quando foi visto dirigindo veículo oficial.

“Primeiro que ele não é meu genro, mas isso a gente vai justificar judicialmente. Segundo, que ele é funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para o município. Já até pediu demissão porque arrumou um emprego melhor”, afirmou o prefeito.

Conforme o MP-AC, foram recebidas várias denúncias da utilização indevida de veículos oficiais da prefeitura do interior do Acre pelo suposto genro do prefeito identificado como Amarildo Gomes.

Promotora flagrou suposta irregularidade

A promotora Eliane Kinoshita afirma ainda que chegou a fotografar Gomes enquanto conduzia uma das caminhonetes oficiais, no dia 30 de maio deste ano, na BR-317, sentido Senador Guiomard para Capixaba.

“Eu queria que a promotora tivesse seguido ele, porque ver o carro passando e tirar foto é muito fácil. Era para ter seguido para ver até onde ele ia e poder certificar o trabalho dele. Ele estava indo para o lixão. O município, anteriormente, pagava R$ 5 mil para uma pessoa recolher os ossos açougue e levar para o lixão. Para economizar, estamos usando o próprio carro da prefeitura para fazer esse trabalho e pagando funcionário terceirizado”, alegou o prefeito.

O órgão destaca que em consulta ao Portal da Transparência do município não foi encontrado nenhum motorista com o nome do suposto genro do prefeito. De acordo com o MP, se for comprovada a utilização do bem público para finalidade particular é caracterizado ato de improbidade administrativa.

Ainda segundo a publicação, o órgão determina que a prefeitura informe a relação ou vínculo do homem com o serviço público municipal, além de dizer quem autorizou a condução do veículo pelo rapaz. O MP pede também que a prefeitura encaminhe a relação de todos os motoristas e a identificação do veículo e secretaria subordinados.

Comentários