Wolvenar foi preso em maio de 2013 durante os desdobramentos da Operação G7, mas 4 anos depois acabou sendo absolvido pela Justiça Federal em Rio Branco

Os membros do Tribunal de Contas do Acre consideraram irregular a substituição de contratos de forma indevida em desacordo a legislação pertinente praticada pelo ex-secretário da Obras nos governos do PT, Wolvenar Camargo.

O caso ocorreu em 2002 em quatro contratos que tem ligação com obras da rodovia AC-40, porém somente agora o caso foi julgado em 2019 e publicado na edição desta sexta-feira, 9, no Diário Eletrônico de Contas.

De acordo com o TCE, apesar do ato irregular, a prescrição de multa e sanção deve ocorrer devido o lapso temporal de mais de 5 anos o que faz necessário o arquivamento do processo.

Wolvenar foi preso em maio de 2013 durante os desdobramentos da Operação G7, mas 4 anos depois acabou sendo absolvido pela Justiça Federal em Rio Branco contra prática de suposto cartel para fraudar licitação das obras de 3.348 casas populares no âmbito do programa estadual ‘Cidade do Povo’.

Comentários