“O governo acaba de protocolar a reforma da previdência e mudanças no Estatuto, os servidores precisam ser ouvidos”, alertou o deputado Jenilson Leite (PSB), acrescentando a presença de sindicalistas na Casa do Povo preocupados com os projetos que o governo quer aprovar até o final do ano. Para adiantar o posicionamento da oposição de tentar adiar ao máximo a aprovação do “Pacote de Novembro”, Jenilson Leite propôs a realização de duas audiências públicas com os servidores públicos. Leite também criticou o governo pela troca de secretários, especialmente na área de Saúde. “Quem está errando é o técnico”, ironizou.

O líder do governo, deputado Gerlen Diniz (Progressistas), agradeceu a médica Mônica pelo “bom trabalho” na Saúde argumentando que ela largou a família para vir ajudar o governo. “Não deu certo, agora cabe ao governador dá uma resposta a população”. Ele lembrou que o governador Gladson Cameli recebeu salários atrasados na Saúde. “A Saúde do governo passado estava um verdadeiro caos”.

Sobre a reforma da previdência, Gerlen argumentou quer todos sabem que existe um rombo de cerca de R$ 50 milhões de reais na folha por conta da previdência. “Rombo deixado pelo governo do PT”, rebateu a ironia. Segundo ele, o governador deu garantias de que a alíquota de contribuição não será aumentada como fez o PT quando estava governando.

Comentários