Conecte-se conosco

Acre

Jorge Viana sugere asilo ou fuga para Lula não ser preso, diz revista

Publicado

em

Entre as nações dispostas a receber Lula, estariam a Venezuela, Bolívia, Equador e Cuba, além de países do continente africano onde o petista poderia fixar residência como Argélia e Etiópia. Este último, destino para onde o ex-presidente tinha até viagem marcada.

Jorge esteve com Lula antes do julgamento/Foto: Arquivo pessoal

Fonte: Istoé

Líderes políticos, poderosos ou não, em decadência ou não, costumam ser rodeados por dois grupos distintos de auxiliares: os que lhe falam verdades difíceis de serem ditas e aqueles que, de suas bocas, só escapam sinfonias para os ouvidos do interlocutor – ou seja, os que só pronunciam palavras aveludadas, aquelas que seu líder mais gostaria de ouvir.

O senador Jorge Viana (AC) se enquadra nesse segundo time. Viana virou uma espécie de grilo falante de Lula para assuntos de desacato à Justiça e tentativas de driblar a lei. Há dois anos, foi dele a sugestão, registrada em escuta telefônica com autorização judicial, para que Lula afrontasse publicamente o juiz Sergio Moro de modo a virar um “preso político”.

Como o diálogo se tornou público, Lula não levou a ideia adiante, nem Moro caiu nessa. Agora, é da lavra de Viana outra indecente manobra que, nos últimos dias, ganhou fôlego no seio do PT. É semelhante à primeira na essência: para escapar da prisão, hoje iminente, Lula buscaria o asilo diplomático em países camaradas. De lá, discursaria ao seu séquito como “exilado político”, até retornar ao Brasil em momento de mais calmaria – ou depois de costurar um acordão político-jurídico que o livrasse definitivamente da cadeia.

Embora tenha dito, recentemente, que “a palavra fugir não existe” em sua vida, Lula gostou do que ouviu – como não. E passou a considerar seriamente a hipótese. A proposta de Viana foi recepcionada no partido como cafezinho quente e açucarado em sala de espera. Tanto que logo ganhou adeptos no petismo: o ex-ministro José Dirceu, também condenado em segunda instância, mas que ainda segue livre, foi um dos que endossaram a “saída pelo asilo”, à revelia da lei. Na última semana, passou a propagar a tese, que se espalhou no PT como rastilho de pólvora.

Entre as nações dispostas a receber Lula, estariam a Venezuela, Bolívia, Equador e Cuba, além de países do continente africano onde o petista poderia fixar residência como Argélia e Etiópia. Este último, destino para onde o ex-presidente tinha até viagem marcada. Lá daria uma palestra sobre corrupção, tema que, a julgar pelas recentes decisões judiciais, ele domina como poucos. Mas capitulou, depois que o juiz Ricardo Leite cassou-lhe o passaporte – já devolvido. Face à impossibilidade de se dirigir aos etíopes pessoalmente, Lula gravou um vídeo em que dourou a narrativa persecutória – o suficiente para angariar apoios e receber convites de hospitalidade.

Em sua argumentação em favor da idéia do asilo, Viana lapida a articulação. Argumenta que, se um país aceitar conceder refúgio ao ex-presidente, não há possibilidade de extradição, pois reconheceria que a situação não é somente jurídica, mas política. A vantagem para Lula seria a possibilidade de, solto, seguir na toada de entrevistas e de alguma forma se manifestando sobre o processo. Se decidisse partir para Venezuela, Bolívia ou Equador, Lula não precisaria ir de avião nem muito menos de passaporte. Bastaria pegar um carro que chegaria ao destino livremente, beneficiado pela longa área de fronteira que circunda o território brasileiro. Para convencer a chancelaria vizinha a lhe conceder o asilo, Lula teria de justificar sua fuga. Um bom argumento, na visão dos petistas entusiastas da tese, seria declarar ser vítima de perseguição política, discurso que o partido vem usando desde que se ventilou o nome dele em denúncias de corrupção. Apesar de a maioria dos nossos vizinhos ter acordo de extradição com as autoridades brasileiras, o processo que o levaria ao caminho de volta não seria rápido, o que daria para ele continuar dando as cartas e capitaneando a militância, mesmo que de longe.

Os articuladores

O mentor da tese de que Lula deve driblar a lei para escapar da prisão e buscar asilo diplomático numa embaixada amiga é o senador Jorge Viana (PT-AC), mas a hipótese já havia sido aventada pelo ex-ministro Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT. O ex-ministro José Dirceu também endossa a ideia.

Passaporte devolvido

Por enquanto, não há registro de que o ex-presidente tenha feito um movimento mais brusco nesse sentido. Segundo o Itamaraty, não existe, por ora, nenhum comunicado dessas nações sobre um pedido de asilo a Lula. O Itamaraty é categórico: apesar de não ser obrigatório, os países da América do Sul costumam manter uma relação diplomática entre si. Para uma fonte ouvida pela ISTOÉ, uma omissão dessa natureza pode abalar a diplomacia com o Brasil. Dependendo do desfecho, até mesmo suspender acordos entre as duas nações, por um gesto unilateral do governo brasileiro. Procuradas pela reportagem, as embaixadas desses países negaram peremptoriamente que tenha recebido qualquer contato, muito menos nesses termos. Os embaixadores se negaram a tecer qualquer comentário adicional. O estratagema, por ousado e ilegal, pode realmente constituir um tirambaço no pé, caso seja levado adiante por Lula e o PT. ISTOÉ apurou com a alta cúpula da Polícia Federal que, desde a decisão do TRF-4, agentes federais já monitoram os passos de Lula. Especialmente depois que seu passaporte foi devolvido na semana passada, por decisão da Justiça.

Embora a saída apontada pelo senador Jorge Viana também tenha sido sugerida por Ciro Gomes em 2016, qual seja, um plano de fuga, a medida desesperada ganhou força com a atual situação de Lula, que ficou muito longe do cenário que o PT previa. Primeiro, esperava que o julgamento no TRF-4 acontecesse em março, o que daria mais tempo a Lula para consolidar seu discurso de candidato. Em vez disso, houve precipitação do julgamento para janeiro. Depois, o partido e a defesa dele acreditavam que haveria uma divergência entre os desembargadores, o que daria maior possibilidade de recurso. Mas foi uma derrota acachapante por 3 a 0. As condições jurídicas estão colocadas. Resta, agora, apenas o cumprimento da lei. Se Lula optar pela fuga – ou asilo, que seja – com o beneplácito das autoridades brasileiras, ao País não haverá mais como descer na escala da degradação institucional.

Comentários

Acre

Alerta: Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no Acre e 18 animais morreram com sintomas da doença

Publicado

em

Por

Por Alcinete Gadelha, g1 AC

Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença — Foto: Arquivo/Idaf

Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença — Foto: Arquivo/Idaf

Um foco de raiva bovina foi detectado em uma propriedade rural, na cidade de Sena Madureira, no interior do Acre, onde 18 animais morreram com suspeita da doença. As informações foram confirmadas pelo Instituto de Defesa e Agropecuária Florestal (Idac), que faz o monitoramento.

Ainda conforme o Idaf, só foi possível fazer a coleta de um dos animais, que teve o caso confirmado por exame laboratorial, mas considera como foco devido às outras mortes terem ocorrido no mesmo período e os animais terem apresentado sintomas.

A raiva em bovinos é transmitida pela mordida do morcego, que, além de matar o animal infectado pela doença, também pode ser transmitida para humanos.

Em junho do ano passado, o Idaf tinha registrado a morte de sete animais da área rural de quatro cidades no interior do Acre nos meses de dezembro de 2020 e maio de 2021. Os casos deste ano foram informados ao Instituto no início de junho.

“Nessa área, nós temos um foco de raiva, com um caso positivo laboratorial e na investigação foi detectado que na propriedade morreram 18. Não podemos afirmar porque não foi possível fazer o exame, mas, pelo período da doença, é detectado como raiva. Se morrer algum animal, em um período de três meses com os mesmos sintomas, a gente considera que ainda seja raiva, pelo período de incubação da doença”, disse a chefe do Programa de Combate da Raiva do Idaf, a veterinária Maria do Carmo Portela.

Quando o veterinário foi até a propriedade, foi feita a orientação aos moradores sobre a vacinação do rebanho, além de investigar se as pessoas tiveram contato com o animal infectado, com a saliva, que é o que a via de transmissão.

“A saliva é o que contém o vírus, e quem trabalha na área rural, pode ter machucado nas mãos, então, é feita a investigação para ver se a pessoa teve contato com a saliva e, no caso, é enviado para a secretaria de saúde do município para a pessoa tomar a vacina. Também é solicitado ao proprietário faça a vacinação do rebanho”, acrescentou.

O trabalho do Idaf, nestes casos é orientar quem teve contato com o animal doente busque a unidade de saúde, e também faça a vacinação do rebanho. Se tiver muitos sinais de mordidas de morcego, ainda é feita a captura dos animais para tentar amenizar a situação, com o controle da colônia dos morcegos.

A propriedade está sob monitoramento e deve receber mais uma visita técnica, com um levantamento se houve mais alguma propriedade com sinais de espoliações de morcego e ou morte com sintomas de raiva, para que seja feito um trabalho de educação sanitária na área.

Animal espoliado por morcego — Foto: Arquivo/Idaf

Animal espoliado por morcego — Foto: Arquivo/Idaf

Sintomas

Entre os sintomas estão o isolamento do animal, perda de apetite, salivação abundante, perda de equilíbrio, quedas e estiramento do pescoço.

Comentários

Continue lendo

Acre

VÍDEO: Polícia Civil incinera mais de 300 quilos de drogas apreendidas esse ano na Regional Juruá

Publicado

em

 

Ascom/Polícia Civil do Acre

Na manhã desta sexta-feira, 24, a Polícia Civil em Cruzeiro do Sul incinerou aproximadamente 300 quilos de drogas diversas, entre cocaína e maconha.

O procedimento tático-operacional contou com a participação de policiais da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico e de agentes da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas – Núcleo Draco/Denarc coordenado pelo Delegado Heverton Carvalho.

As drogas são provenientes de diversas apreensões realizadas pelas forças de segurança na regional Juruá em virtude de prisões em flagrante, delitos, assim como operações de investigações de repressão ao tráfico de entorpecentes e de combate à facções criminosas.

A incineração do entorpecente é um demonstrativo claro da efetividade do trabalho da polícia judiciária que vem intensificando suas ações de combate a criminalidade em todas as regionais do estado. O sentido de asfixiar as organizações criminosas voltadas à prática do crime de tráfico de drogas.

A ação faz parte da Semana Nacional de Políticas sobre Drogas, que acontece entre os dias 20 a 24 de junho de 2022.

Além dos delegados Vinicius Almeida e Heverton Carvalho, estiveram presentes na incineração autoridades representando o Poder Judiciário, o Ministério Público Estadual e Federal e a Vigilância Sanitária do Acre.

Comentários

Continue lendo

Acre

Saúde alerta para possível aumento de casos de síndromes gripais e doenças respiratórias no período de seca

Publicado

em

Enquanto o segundo semestre do ano se aproxima, a estiagem característica desse período preocupa os órgãos responsáveis pelo monitoramento da incidência de síndromes gripais e doenças do sistema respiratório. A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, encontra-se alerta para um possível aumento desses casos nos próximos meses.

O período de seca gera aumento de doenças respiratórias e síndromes gripais. Foto: Odair Leal/ Secom

Além do calor, a baixa umidade do ar e a fumaça provocada pelas queimadas são fatores de risco para a disseminação de doenças como rinovírus, influenza, parainfluenza, adenovírus, metapneumovírus e sincicial respiratório, por exemplo.

O chefe do Departamento de Vigilância em Saúde do Acre, Gabriel Mesquita, destacou que a prevenção é a melhor estratégia no combate a esses vírus. “É um período em que as pessoas precisam se cuidar, se hidratar. Tomar medidas como, se possível, ter umidificadores de ar dentro de casa, ou até mesmo baldes de água ou toalhas molhadas, tornando o ambiente menos propício a proliferações das síndromes gripais”, orienta.

Gabriel Mesquita reforça a importância de hidratar-se em períodos mais secos. Foto: cedida

Mesquita explica ainda que a população em geral está exposta às doenças do sistema respiratório e síndromes gripais, podendo, além de contrair, ter um agravamento dos efeitos do vírus no organismo. No entanto, idosos e crianças são considerados grupos de risco, por se mostrarem mais suscetíveis à evolução dessas doenças para Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

Campanha de vacinação contra influenza

A vacina é o método mais eficaz no combate às doenças. O governo do Acre, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), disponibiliza, desde abril deste ano, a imunização contra a influenza para os grupos de risco. A partir segunda-feira, 27, todas as unidades básicas de saúde (UBS) do estado estarão oferecendo as vacinas ao público em geral.

Comentários

Continue lendo

Em alta