Conecte-se conosco

Geral

Jornalista acreano Pitter Lucena lança livro de poesias em Brasília e anuncia mais produções

Publicado

em

Pitter Lucena fala um pouco de sua vida e anuncia outras quatro produções literárias; o atual chama-se “Akiryanas”

POR TIÃO MAIA

Jornalista radicado em Brasília há quase duas décadas, o acreano Pitter Lucena, de 56 anos, acaba de lançar o livro “Akiryanas, fragmentos de um tempo vazio”, essencialmente de poesia. “São pequenos textos de pensamentos diversos. Situações cotidianas, onde observamos o tempo e espaço”, define o autor.

Segundo ele, o livro dialoga com o passado, o presente e o futuro. Com o passado, ao evocar akiryanas, palavra que, segundo os estudiosos, advém da língua indígena Apurinã, qual seja, Uwa’kürü, Uákiry, Aquiry/Akiry e, finalmente, Acre. O autor, portanto, retorna à ancestralidade, ao passado mais profundo, ao paraíso violentado e perdido. “Fragmentos de um tempo vazio” também aplica-se, perfeitamente, aos nossos dias, de crise, econômica e moral, de pandemia, de obscurantismo.

“O futuro, aqui, é o que se apresenta como esperança, como sonho, que é o que permite, de certa forma, o ser humano a se reinventar e a seguir em sua caminhada”, disse o autor.

Lucena diz que a maioria de seus textos se relaciona ao Acre. “O Acre será sempre uma fonte de inspiração. É minha terra natal, meu berço. Tenho orgulho de dizer que sou acreano do pé rachado”, disse. “Escrever, para nós jornalistas, é um hábito. Uma necessidade. Uma vontade, um vício. Quero compartilhar pensamentos, sentimentos”, disse o autor.

Repórter de destacada atuação no Acre, inclusive ganhador de prêmios de jornalismo como “José Chalub Leite”, Lucena saiu de em janeiro de 2005. Foi em busca de tratamento de melhores condições de saúde de qualidade de vida para seu filho Leonardo, portador de paralisia cerebral.

Uma das obras de Pitter. Foto: cedida

“No Acre, não havia tratamento adequado para aquela situação”, disse ao constatar que a doença da então criança deixada na porta de sua casa, no Xavier Maia, era irreversível. “A gente tem sentimentos fortes com essa terra chamada Acre. A gente sai do Acre, mas o Acre não sai da gente. É incrível isso. Aqui em Brasília temos uma regra para quem vier nos visitar. Será bem vindo quem trouxer farinha de Cruzeiro do Sul e Açai de Feijó. É tipo um passaporte. A bolacha Miragina, se alguém trouxer, ganhará pontos extras”, disse.

Pitter Lucena diz que, após 15 anos fora do Acre, percebe a situação não mudou muita coisa não. “A politicagem continua sendo o forte”, define. “Sobre o governo Bolsonaro, acho que parte do povo brasileiro deu um tiro no pé elegendo uma criatura que não tem visão política para o desenvolvimento do país. Bolsonaro é pequeno para o Brasil. Sobre o governo Cameli, observo que não está sendo perseguidor como o anterior. Tem certa leveza na condução do executivo acreano”, definiu.

Depois de trabalhar 15 anos no Congresso Nacional, o jornalista agora de produção freelancer. Foto: cedida

O jornalista tem mais quatro livros em produção. “Escrevo quase todos os dias. O Livro Historiografia do Acre e outros causos terá dois volumes. “Um outro livro é sobre o meu filho Leonardo, que deverá ficar pronto até o final do ano que vem. Ainda não tem título”, comentou.

Um terceiro livro seria sobre o tempo de caserna no Exército Brasileiro em 1984, último ano da ditadura militar. “Penso num outro sobre ditos populares de raízes tipicamente do Acre. Seu linguajar que o resto do país não entende direito”, disse.

Há ainda um projeto sobre um livro com o título “Massacre em pando”. “Este está pronto, faltando apenas alguns ajustes. É um livro denúncia contra o presidente Evo Morales em parceria com a UnoAmérica, uma instituição de direitos humanos com a participação de vários países da América Latina”, contou.

Depois de trabalhar 15 anos no Congresso Nacional, o jornalista agora de produção freelancer. “Tenho uma empresa de marketing e vou vivendo segundo as circunstâncias. Penso um dia em voltar para o Acre. É minha casa, meu berço”, disse.

Comentários

Geral

General Poty, Diretor do Calha Norte visita Assis Brasil

Publicado

em

Nesta terça-feira, 07, o Prefeito Jerry Correia e o vice-prefeito Reginaldo Martins, receberam o Diretor do Programa Calha Norte, General Ubiratan Poty e equipe técnica. A comitiva realizou vistoria na primeira etapa da obra da Praça Henock Timóteo.

O General esteve no gabinete do prefeito e seguiu para a Câmara de Vereadores onde fez uma fala. O Diretor Geral do Programa Calha Norte fez questão de visitar alguns amigos que fez quando comandou o Segundo Pelotão Especial de Fronteiras em Assis Brasil. Um deles foi o Sargento da Reserva Jorge Miranda que ficou emocionado ao rever o amigo de farda.

Acompanhado do prefeito e vice-prefeito, o General visitou o pracinha Joatan Cunegundes, combatente da Segunda Guerra Mundial. O encontro foi marcado por boas risadas e também lágrimas de emoção.

O General Poti fez questão de ir até o cemitério da cidade onde visitou o túmulo do amigo SD Marinho Gonzaga de Lima, falecido em 1986 em um acidente de carro na BR 317. Diante de uma foto do amigo, o General relembrou boas aventuras que viveu ao lado do soldado Marinho.

O General finalizou seu passeio por Assis Brasil visitando o Marco Fronteiriço fixado em 1929 pelo Marechal Cândido Rondon.

“Uma alegria indiscritível rever minha querida Assis Brasil. Bom ver que está sendo cuidada e que vive dias de desenvolvimento. Farei o possível para continuar ajudando este povo”, disse o General.

Comentários

Continue lendo

Geral

Gabinete Itinerante da senadora Mailza é recebido pelo prefeito de Epitaciolândia

Publicado

em

Epitaciolândia foi o terceiro município do Alto Acre a receber a visita do Gabinete Itinerante da senadora Mailza. Nesta quarta, 8, o prefeito Sérgio Lopes conversou com o chefe de gabinete da parlamentar, Artur Neto, sobre os R$ 4,6 milhões enviados para o município.

Somente para o combate à Covid-19, a senadora enviou para Epitaciolândia R$ 1 milhão para despesas e R$ 300 mil para custeio na Saúde, já pagos.

O município terá uma Casa da Mulher Brasileira, espaço de apoio e combate à violência contra mulheres, que será construído com uma emenda de R$ 1,6 milhão. O recurso já foi pago e está em licitação para início das obras. A casa atenderá toda a região.

O Corpo de Bombeiros também foi contemplado com R$ 1 milhão para construção do Complexo Poliesportivo da corporação.

A infraestrutura teve R$ 430 mil para compra de uma pá carregadeira e R$ 260 mil para duas picapes cabine dupla, ambas para prefeitura.

Sérgio Lopes agradeceu a visita e o empenho da parlamentar. “Aproveito a oportunidade e agradeço a senadora Mailza pelas emendas já destinadas ao nosso município. Esperamos que a senhora continue com esse carinho e sensibilidade com nossa cidade. Em nome da população, estendo nossa gratidão”, disse o prefeito.

Na ocasião, foi tratado também o envio de novas emendas para 2022.

Comentários

Continue lendo

Geral

Acreano que aderir ao “não perturbe” não será mais incomodado com telemarketing

Publicado

em

 

Sabe aquela ligação logo cedo no final de semana oferecendo aquele produto ou serviço que você não pediu e não tem o mínimo interesse? Pois essa chateação vai acabar.  Foi publicada na edição desta quarta-feira, 8, com a sanção da lei de autoria do deputado estadual Roberto Duarte (MDB) que cria no Acre o cadastro “não perturbe”.

O serviço consiste na obrigatoriedade das empresas de telemarketing ou estabelecimentos que se utilizem deste serviço a não efetuarem ligações telefônicas não autorizadas aos consumidores ou usuários nele inscritos, a fim de bloquear ligações telefônicas de propaganda não desejadas.

A partir da adesão do consumidor final à lista “não perturbe”, terá a empresa de telemarketing ou estabelecimentos que deste serviço se utilizem, o prazo de trinta dias corridos para cessar definitivamente, toda e qualquer ligação com finalidade de publicidade ao usuário que não autorizar ou desejar.

Incluem-se nas disposições desta lei, usuários de:

I – telefones na modalidade fixo;

II – telefones na modalidade móvel;

III – aplicativos de telefonia utilizados em telefones smartphone.

O consumidor final ou usuário que desejar voltar a receber os serviços de marketing via telefone, poderá, a qualquer momento, solicitar a sua exclusão do cadastro “não perturbe”.

É obrigatória a disponibilização, no momento da ligação ou via SMS, de número de protocolo referente à solicitação de adesão ao cadastro “não perturbe” ou exclusão deste, ao usuário.

O disposto na presente lei não se aplica às empresas sem fins lucrativos ou filantrópicas que se utilizem de empresas ou serviços de telemarketing para angariar recursos inerentes ao seu funcionamento.

O não cumprimento do disposto nesta lei sujeitará a empresa infratora ao pagamento de multa correspondente a um salário mínimo vigente, por dia de descumprimento, direcionada ao Fundo Estadual de Defesa do Consumidor – FEDC. Em caso de reincidência, a multa diária será aplicada em dobro.

As empresas concessionárias têm um prazo de 90 dias para se adequarem à nova lei.

Comentários

Continue lendo

Em alta