Juruna é acusado pelos crimes de peculato, tráfico de influência, corrupção ativa, falsificação de documento público e falsidade ideológica

O Tribunal de Justiça do Acre (T/AC) negou na manhã desta quinta-feira (28), o pedido de julgamento do vereador de Rio Branco, José Carlos Juruna (PHS). O parlamentar, que faltou a sessão, foi condenado em 2017, a nove anos e cinco meses de prisão.

A Câmara Criminal analisou durante julgamento e manteve a condenação de nove anos imposta ao vereador, que foi denunciado pelo Ministério Público do Acre (MP/AC) por comercializar boxes do complexo dos camelôs e por recebimento de verba ilegal.

Carlos Juruna pode ter o mandato caçado /Foto: Reprodução

Em contato com a assessoria de comunicação da Câmara, fomos informados de que nenhuma notificação foi encaminhada ao parlamento mirim. No entanto, informou que para Juruna ser cassado ele precisa passar pela comissão de ética da casa e depois encaminhado ao plenário para decisão dos parlamentares”, declarou.

Entenda o caso

Juruna é acusado pelos crimes de peculato, tráfico de influência, corrupção ativa, falsificação de documento público e falsidade ideológica, segundo o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC). No entanto, o órgão informou que no processo foram julgados apenas crimes de tráfico de influência e corrupção ativa.

Em abril de 2017, uma resolução cancelou a notificação que estabelecia um prazo de dez dias para que o vereador apresentasse defesa na Câmara de Vereadores de Rio Branco no processo de cassação do seu mandato.

Comentários