Conecte-se conosco

Acre

Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022 é apresentada para Assembleia Legislativa do Acre

Publicado

em

Em audiência pública na manhã desta quinta-feira, 8, o governo do Estado apresentou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022 para a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). O projeto tem uma série de novos pontos para o fortalecimento fiscal do Estado e manutenção da máquina pública, além de uma previsão orçamentária de R$ 6,9 bilhões que ainda deve mudar até a apresentação da Lei Orçamentária de 2022 em setembro.

Audiência pública contou com a presença de todos os poderes Imagem: reprodução

O projeto da LDO foi enviado ainda em maio trazendo diretrizes para a elaboração do orçamento e espera apenas a apreciação e votação do Legislativo estadual.

A apresentação conjunta realizada por membros da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e a Secretaria de Fazenda (Sefaz), destacou pontos importantes como a previsão de um reajuste geral dos salários dos servidores públicos estaduais pensando principalmente na correção inflacionária; a correção do duodécimo dos outros poderes estaduais; os riscos fiscais que podem ocorrer no ano de 2022 e quais as medidas serão tomadas pelo governo caso isso venha a acontecer; além da meta de resultado primário para o ano em R$ 329 milhões de forma a mostrar o equilíbrio das contas públicas para o pagamento dos compromissos firmados.

“A ideia do governo do estado é debatermos e avançarmos com esse projeto de modo a abranger todos os setores da nossa sociedade e chegarmos ao melhor acordo possível, com a união dos poderes e fortalecimento do setor público”, conta o Secretário de Planejamento e Gestão, Ricardo Brandão.

 

Fonte: Noticias do Acre / Por: Samuel Bryan 

Comentários

Acre

Terremoto com magnitude de 7.5 no Peru é sentido em várias cidades do Acre

Publicado

em

Um forte terremoto que atingiu a cidade de Barranca, no litoral do Peru, neste domingo, 28, foi sentido em várias cidades do Acre, com mais intensidade na região do Vale do Juruá. O tremor foi de magnitude 7.5, classificado como ‘muito forte’.

Moradores do Juruá relatam que o tremor sentido foi uns dos mais intensos e duradouros dos últimos tempos. Dados oficiais apontam que o evento foi localizado a 112 km de profundidade e segundo o USGS, Instituto de Pesquisas geológicas dos EUA, a magnitude do tremor foi calculada em 7.5 magnitudes.

Do total de 287 eventos dos últimos sete dias , 261 deles foram classificados como de intensidade leve e 23 atingiram o status de moderados. 3 tremores foram classificados entre forte e muito forte, como este que aconteceu hoje.

Nas redes sociais, diversos acreanos relataram o caso envolvendo o tremor e afirmando tê-lo sentido.

Comentários

Continue lendo

Acre

Bandeira da conta de luz será verde em dezembro., mas só para beneficiários da tarifa social

Publicado

em

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) anunciou nesta sexta-feira (26) a bandeira tarifária verde no mês de dezembro para os consumidores que recebem o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica.

Com essa bandeira, que indica condições favoráveis de geração de energia, não há acréscimos na tarifa. Mais de 62 mil usuários mantém o benefício já concedido em novembro.

Neste momento, a bandeira verde vale apenas para os consumidores com Tarifa Social. Para os demais consumidores de energia elétrica – excetuando-se os moradores de áreas não conectadas ao Sistema Interligado Nacional (como os de Roraima e de áreas remotas), que não pagam bandeira tarifária –, a bandeira vigente no período será a de Escassez Hídrica, no valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos.

Instituída pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG), criada por meio da Medida Provisória nº 1.055/2021, a bandeira Escassez Hídrica visa a fortalecer o enfrentamento do período de escassez de recursos hídricos, o pior em 91 anos. A bandeira Escassez Hídrica seguirá em vigor até abril de 2022.

Os adicionais de bandeiras tarifárias na conta de luz dos consumidores que possuem direito à Tarifa Social de Energia Elétrica seguem os mesmos percentuais de descontos que são estabelecidos por faixa de consumo. Isso significa que as famílias de baixa renda, inscritas no programa de Tarifa Social, pagam as bandeiras com os mesmos descontos que já possuem nas tarifas, de 10% a 65%, dependendo da faixa de consumo.

Comentários

Continue lendo

Acre

3º FPM de novembro é de R$16,2 milhões e entra dia 30 na conta das 22 prefeituras

Publicado

em

As prefeituras do Acre recebem na próxima terça-feira (30) a 3ª e última parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) relativa ao mês de novembro. São 16.929.932,15 a serem partilhados entre as 22 prefeituras.

Em nível nacional, 5.568 recebem o valor de R$ 2.974.032.349,93 ou de R$ 2.379.225.879,94, considerando a retenção de 20% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Comparado ao ano passado, o montante é 11,78% maior, mas, com a inflação, o resultado positivo fica em 3,17%.

Os dados são da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e consideram a base de cálculo da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) entre os dias 11 e 20 de novembro. Com a última transferência mensal, os recursos destinados aos cofres municipais em novembro somaram R$ 12,7 bilhões, 29,18% maior do que o total repassado no mesmo mês de 2020 — R$ 9,8 bilhões. Aplicada a inflação, o crescimento do penúltimo mês do ano fica em 19,23%.

De acordo com os estudos técnicos da CNM, do total repassado, as 2.447 localidades de coeficiente 0,6 ficam com R$ 585.781.452,20. O restante será partilhado entre as grandes e médias cidades. O levantamento do último decêndio de novembro alerta ainda que cada prefeitura deve destinar 15% dos seus recebimentos brutos para a saúde e 1% para o Programa de Integração Social e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).

Em todos os meses, de janeiro até agora, as transferências feitas aos cofres locais foram positivas, inclusive neste segundo semestre, em que a arrecadação geralmente é menor. Assim, os Municípios receberam R$ 123 bilhões ao longo desses 11 meses e, no mesmo período de 2020, o acumulado estava pouco mais de R$ 91 bilhões, ou seja, entrou 34,82% a mais de verba. Mesmo com a inflamação, os gestores tiveram 25,20% a mais de recursos.

Até o momento, os meses de maio, julho e setembro se destacam com crescimento de 54,06%, 63,67% e 59,19% do FPM, respectivamente. Tais levantamentos podem ser conferidos pelos gestores na plataforma de acompanhamento das Transferências Constitucionais do Conteúdo Exclusivo da CNM. Diante dessa realidade, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski recomenda aos gestores que aproveitem e façam uma reserva de recursos, pois o futuro econômico é incerto e o fenômeno de FPM positivo pode não se manter.

Comentários

Continue lendo

Em alta