De acordo com a direção da unidade de saúde, os bebês já chegaram mortos ao local

Pais alegam negligência; médicos dizem que crianças já estavam mortas/Foto: reprodução
SAIMO MARTINS, DA CONTILNET

Fábio Lima de Souza, de 30 anos, denunciou a reportagem, na tarde desta sexta-feira (14), que sua esposa está há mais de 24 horas aguardando a liberação do filho do casal, que segundo informações morreu por negligência da unidade de saúde. Na mesma situação se encontram outras duas mulheres que também estão com bebês mortos na barriga, à espera da corretagem.

Fábio Lima conta que a esposa, identificada como Framcilene Pedroza de Souza, 37, procurou a maternidade na última quarta-feira (12), com fortes dores, porém, após uma consulta, os médicos encaminharam a paciente de volta para casa.

Na quinta-feira (13), a paciente voltou a sentir dores e perder bastante sangue, com isso, voltou a procurar atendimento. “Chegamos de tarde, formos bater ultrassonografia por volta das 23 horas, e o resultado foi que a criança estava morta. Se eles tivessem atendido na quarta, o bebé estava vivo”, destacou.

Lima acrescentou que após a confirmação da morte, “eles disseram que não havia leito para internação. Hoje já faz mais de 24 horas e agora que conseguiram leito para iniciar o processo de retirada do feto, pois não querem fazer curetagem devido aos gastos do procedimento”, ponderou.

Na mesma situação, encontra-se mais duas pacientes que estão há espera da remoção dos bebés, uma delas menor de idade. O denunciante conta que a situação é horrível, e muitas mulheres estão dando a luz nos corredores da maternidade. ” Não tem leito, aí eles fazem o parto nas cadeiras mesmo”, frisou.

Outro lado

A diretora da maternidade de Rio Branco, Serlene Gonçalves, informou à reportagem que as pacientes já foram remanejadas aos leitos. “Todas estão nos seus leitos”, afirmou. Serlene. Ela disse ainda que as mães já chegaram no local com as crianças mortas e que nesses casos, para fazer a remoção do feto, a demora é grande. “A paciente passa por todo um processo, tem que ficar em jejum. O fluxo de curetagem demora um dia ou até dois, depende do caso”, explicou.

Conforme relatado pela diretora, a paciente de 14 anos, citada na reportagem, já expeliu o feto e encontra-se em repouso. “Já está aguardando alta dos médicos. Todas foram atendidas, declarou.

Em contato com Fábio Lima, sua esposa ainda aguarda o procedimento ser concluído. “Até o momento ela ainda não expeliu o feto”, finalizou.

Comentários