Major Rocha faz visita à enfermaria do PS do Huerb e encontra o caos e superlotação

O deputado federal Major Rocha (PSDB) ficou aterrorizado com o que viu em uma rápida visita feita na tarde desta quinta-feira (11) a um dos pavilhões de enfermarias do Hospital...

O deputado federal Major Rocha (PSDB) ficou aterrorizado com o que viu em uma rápida visita feita na tarde desta quinta-feira (11) a um dos pavilhões de enfermarias do Hospital de Urgência e Emergências de Rio Branco (Huerb). O local, onde estão os paciente à espera de cirurgias, mais parece um hospital durante uma guerra, com superlotação, falta de condições de acomodação e poucos medicamentos.

O absurdo no local é tamanho a ponto do parlamentar informar estar entrando com uma representação no Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) para buscar uma solução para o abando e sofrimentos infligidos às pessoas.

19 pessoas em macas no corredor

“Isso aqui é um absurdo para com a população de nosso Estado. Hoje tinha 19 pessoas jogadas no corredor da Clínica Cirurgica ‘B’ do Huerb. E segundo os servidores, já teve dias com muito mais gente. As pessoas estão jogadas em cima de macas, apenas com um colchonete como forração”, comentou.

O deputado classificou como heroico o trabalho dos servidores, que precisam se esgueirar por entre macas e pessoas no corredor, enquanto tentam reduzir o sofrimento deles com poucos e escassos medicamentos.

Sem visita de cirurgião paciente pode perder a perna

“Nós vimos pessoas com mais de três meses hospitalizadas e à espera de uma cirurgia. Vimos o caso de um jovem, vítima de acidente de moto, internado há 24 dias e há 8 dias esperando um cirurgião plástico pra fazer uma avaliação de emergência, pois corre o risco de perder a perna dado estar com o osso da fíbula exposto”, destacou o deputado.

Enquanto isso um grupo de pacientes denunciou não haver qualquer critério para as cirurgias, pois pessoas há muitos dias internadas são preteridas por outros. Mesmo com medo de represálias e ficarem ainda mais tempo à espera de cirurgia, os paciente denunciaram não estar havendo respeito à ordem de chegada ou mesmo a gravidade dos casos,

Rocha cobra providências

O deputado Major Rocha destacou o fato de que a espera não fica apenas para as pessoas acomodadas nos leitos, mas há casos de pessoas com uma semana ou até mais jogadas nas macas do corredor. O parlamentar ainda destacou o fato da reforma do Huerb demorar mais que a construção da pirâmide de Quéops, no Egito.

“E nós fomos apenas verificar uma denúncia e nos deparamos com este absurdo somente naquele setor, sendo informado que o caos da superlotação, a falta de remédios e equipamentos é generalizada no local. Por isso vamos cobrar uma providência urgente do MPAC. Não dá para esperar mais tempo, pois isso custa vidas humanas”, declarou.

Comentários