Presidente da Juventude do PT foi impedido de discursar.

Da Redação, com Agência ContilNet

No Acre, na manhã desta quinta-feira (11), trabalhadores e sindicalistas foram às ruas para mobilizar o governo do Estado em relação à situação das diversas categorias.

Porém, o ato, previsto pela organização do movimento como um protesto apartidário, começou a ganhar outro teor com a chegada de líderes partidários. Manifestantes chegaram a queimar uma bandeira da Juventude do PT.

Manifestante queima a bandeira da Juventude petista, em frente ao Terminal Urbano/Foto: Agência ContilNet
Manifestante queima a bandeira da Juventude petista, em frente ao Terminal Urbano/Foto: Agência ContilNet

Já na concentração do movimento, com a chegada do presidente da Juventude do Partido dos Trabalhadores (JPT), Cesário Campelo Braga, a revolta de alguns manifestantes já era perceptível.

Na ocasião, Cesário foi impedido de discursar. O líder então acusou a organização do movimento de promover um suposto boicote contra a juventude petista, ressaltando que estes estavam no local pelos mesmos objetivos dos manifestantes.

A caminhada do grupo, desde a praça Eurico Gaspar Dutra até o Terminal Urbano da cidade, foi tumultuada e marcada por confusões. Dentre elas, um agente de endemias tomou a bandeira da JPT das mãos de um dos representantes da entidade.

Logo após o acontecimento, que ocorreu nas proximidades do escritório oficial do governo do Acre (Casa Rosada), Cesário tentou discursar, mas foi interrompido por uma grande vaia.

Após a tentativa frustrada de discurso, Cesário teve o microfone tomado por representantes sindicais que estavam no manifesto e foi aconselhado por todos a abandonar o ato.

i061820_584Insatisfeitos com a rejeição popular, petistas permaneceram no movimento o que, de acordo com representantes sindicais, demonstrava claramente suas reais intenções:

“Aqui tem estrelas do PT que querem claramente acabar com nosso movimento. Eles não respeitam o trabalhador, não respeitam nossa luta. Fora!”, bradou um sindicalista.

Enquanto o sindicalista discursava, o grupo chegou próximo à Central de Serviços Públicos (OCA), onde houve um novo tumultuo.

No momento do confronto, até membros da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e Força Sindical foram agredidos, mas em seguida os baderneiros foram expulsos do movimento e as bandeiras do JPT tomadas pelos manifestantes.

 

 

Comentários