Márcio Bittar, Vagner Sales e Gladson Cameli anunciam composição para disputar o governo e a vaga no Senado

Líderes de oposição formalizam nova aliança para 2014 Uma reunião realizada na manhã deste domingo (3), na sede do PSDB, em Rio Branco definiu a organização de uma nova aliança...

Líderes de oposição formalizam nova aliança para 2014
Líderes de oposição formalizam nova aliança para 2014

Uma reunião realizada na manhã deste domingo (3), na sede do PSDB, em Rio Branco definiu a organização de uma nova aliança entre PMDB/PSDB e PP – que formarão a chapa majoritária para disputar o governo do Acre e a vaga no Senador da República, nas eleições do próximo ano.

O evento foi organizado pelo deputado federal Gladson Cameli (PP), que será candidato único ao Senado pelo bloco de partido formado por PMDB, PSDB, PP, PR , Solidariedade , PMN , PPS , PTdoB. Os líderes partidários pactuaram ainda que o grupo terá candidatura única na disputa pelo governo.

Uma entrevista coletiva foi convocada para a segunda-feira (4), às 10h, no auditório da Assembleia Legislativa, quando os líderes partidários anunciam a formalização da aliança. Márcio Bittar (PSDB) e Vagner Sales (PMDB) poderão está no mesmo palanque formando a chapa de governador e vice.

A aliança que terá o objetivo de construir a várias mãos, um plano de governo, que será apresentado para a população do estado, no primeiro semestre de 2014. Os líderes partidários afirmam que querem acabar com o mar de incertezas e planejar uma campanha vitoriosa das oposições.

Segundo informação de Cameli, o senador Sérgio Petecão (PSD) e Tião Bocalom (DEM) foram convidados para reunião, mas não compareceram. Para alguns representados de partidos que estiveram no evento, Petecão e Bocalom estariam seguindo em “caminhos irracionais e individualistas”, em relação a 2014.

Flaviano Melo, Márcio Bittar, Vagner Sales, Gladson Cameli afirmam que vão continuar tentando fazer a união das oposições. Eles ainda esperam pela adesão de Petecão e Bocalom. Os oposicionistas dizem que as portas vão continuar abertas para adesão, mas não cogitam apoiá-los em suas campanhas.

Os oposicionistas dizem que o principal objetivo é apresentar um projeto de desenvolvimento alternativo e confiável para ganhar o governo. As articulações caminham na direção de PSDB e PMDB apresentem os nomes de governador e vice-governador. A cabeça só será definida no início de 2014.

Comentários